22 novembro 2009

Energia do GOLP

"Galp arrisca perder apoio estatal de 160 milhões" DN

Porquê uma empresa que apresenta milhões em lucros trimestrais, que detém o monopólio do mercado petrolífero nacional, que congratula-se vira e mexe pela descoberta de novos jazigos petrolíferos no Brasil e que não pensa um nanosegundo antes de aumentar em 0.02€ os combustíveis a cada subida do barril de crude, necessita de ajudas do Estado português seja para o que for?

6 comentários :

Francisco Vieira disse...

Bonus para os quadros superiores, meu amigo!
Abraco

Cirrus disse...

Catsone, estou de acordo com a ideia do post, mas duas precisões:

- A Galp não detém monopólio no mercado de combustíveis, longe disso; detém o monopólio na logística (refinarias), mas essa é a Petrogal.

- O preço dos combustíveis não é dependente do preço do barril de crude, pelo menos de forma directa. A maior parte das vezes, não tem grande relação imediata;

Balhau disse...

Para que a máxima, "Mais nunca é demais...", possa existir...

Catsone disse...

Francisco, esses se calhar precisam...

Cirrus, tens razão nas correcções. Quanto à primeira, quando digo que a Galp tem o monopólio, refiro-me ao facto de ser ela que "orienta" os preços dos combustíveis. Para além de ter o maior número de postos de abastecimento. Foi exagero da minha parte, mas foi propositado.
Quanto à 2ª, eu sei que os preços não dependem do preço do barril, tem relação com a cotação do dólar e tb com timings de entrega do produto, etc. A questão é que as petrolíferas se refugiam no aumento do preço do barril para aumentar os combustíveis e justificam-se com os outros pontos quando o barril baixa. Enfim, são uns espertinhos...

Balhau, podes crer, friend.

Sahaisis disse...

vamos lá comparar este teu post com o das PME's...dá ou não dá vontade de desatar à estalada a estes ladrões?

Cirrus disse...

Cat, o preço do combustível é regulado por uma cotação internacional, chamada Platt's, que varia em bolsa todos os dias. Os preços aplicados pela petrolíferas em Portugal variam consoante variam os preços Platt's, que mais não são que as cotações internacionais, por tonelada, do gasóleo, do fuel, da gasolina, etc, ou seja, de produtos refinados. Por isso é que, muitas vezes, quando o barril desce, os preços não descem. O processo é automático e pouco tem a ver com a vontade das petrolíferas.