30 julho 2013

Forreta? Eeeeuuu?!

Numa grande rotunda de Coimbra, desde há algum tempo, estão uns saltimbancos a distrair os automobilistas enquanto aguardam pela sinalética verde dos semáforos. Entretém o people com pinos e bolas já que são todos malabaristas. 
Confesso que acho interessante esta forma de ganhar a vida. É muito melhor tê-los ali a mostrar o seu talento do que ter que aguentar vendedores fajutas de "Borda d'água", "Cais" ou os famigerados limpadores de pára-brisas. Não pedem nada, mas é óbvio que têm um objectivo com o espectáculo público: no final da "apresentação", estendem um chapéu no sentido de receber qualquer coisa dos impacientes condutores.
Eu, na minha magnânima solidariedade, resolvi "amandar" para a cobertura capilar uma moeda de 20 cêntimos.
"Só 20 cêntimos!?", perguntarão vocês, indignados com a avareza.
Pois, 20 cêntimos. Parece pouco? Também achei a princípio, mas depois fiz as contas: se em cada sinal vermelho, 10 condutores fornecerem 20 cêntimos; se em cada hora houver, no mínimo, 10 sinais encarnados; se trabalharem as 8 horas de um normal trabalhador; se estiverem ali 20 dias por mês; quanto isto dará no fim do mês, limpinho, limpinho de impostos? Pois bem, para facilitar, digo-vos eu: 3200€! Ou seja, mais do dobro que eu recebo com o meu trabalho como Médico de Família. 

Ao longo do caminho fiquei a pensar que deveria ter enveredado pelo mundo do malabarismo (que de certa forma vou fazendo com o orçamento doméstico). No entanto, como são necessários talento, destreza e uma grande dose de coordenação motora, obviamente que esta hipótese foi imediatamente posta de parte. Mas como a minha madame está desempregada...




29 julho 2013

O povo português deve estar sedado; deve ter sido injectado com um sumo de entorpecimento e desânimo. Se não for assim como se pode explicar a apatia perante o comportamento completamente tresloucado dos que nos governam.
Primeiro, o casa e descasa da insensata coligação governamental. Depois, a patética actuação do demente palhaço presidente da república. A seguir, a salvação nacional que abortou antes de o ser. Continuando com a remodelação de um governo que, não obstante já ter um elevado nível de incompetência, lá juntou mais uns tachos ao trem e multiplicou 1 por 0.
Se se pensava que a estupidez e inutilidade desta gente tinha limites lá veio o sr. PM provar a inata criatividade para a parvalheira e extravasar mais um pouco da sua maluquice ao dizer que num país como Portugal não será com aumentos de impostos que vamos sair da crise e blá, blá, blá para os gordurentos votantes PSD de uma autarquiazinha qualquer.
Vinha eu no meu bólide a ouvir a TêSêFê e quase tive que parar o carro para tentar entender o que se estava a passar. 
"Espera lá, pensei que o locutor tinha dito Passos Coelho"
E repetiu que a frase era mesmo desse energúmeno.

Ora, se eu fosse José Seguro (e graças a deus que não sou) ficava arreliado, caraças! Esse Passos quer o protagonismo todo? Quer estar ao mesmo tempo na situação e na oposição? Está a fazer o papel do PS ao criticar-se a si próprio! Mas que porra é essa?! Será que se esqueceu que é o responsável pelo maior aumento de impostos de sempre neste pequeno rectângulo? E pelo aumento exponencial do desemprego? E pelo descalabro das contas públicas? Mas anda tudo doido?

Não me admira que o Portas tenha amuado: o Passos quer o protagonismo todo para ele. Ele mais os seus laivos espumosos dextros em comícios de eleições autárquicas que deixaria cheio de orgulho o seu mentor Salazar. Querem ver que a constituçãozinha canhota não deixará que, este governo desenvolvido, possa nos escravizar e sodomizar a todos? E que não deixará impor um racionamento ao pão e à água que cada um de nós vai ter para o almoço? Dormir é para fracos! Descansar é para maricas! Férias e salário são direitos obsoletos de um ideal socialista/comunista atrasado. 

Já não nos bastava ter de lidar com uma personalidade filha da Pu$%, agora temos que lidar com duas? Duas personalidades filha da pu%& é difícil de aguentar (a não ser que se pergunte a opinião a um presidente de um banco que eu cá sei, também ele um grande filho da pu/&a).

Acordai, porra!!! 


17 julho 2013

Pai sofre XXXIII - Ver vídeos na internet, mas sempre com protecção que é para não apanhar vírus

O tempo de ver filmes na televisão já lá vai. Os miúdos de hoje parecem se entreter mais ao ver os seus bonecos através do computador ou telemóvel. Culpa dessas novas tecnologias que põe à mão de semear qualquer conteúdo audiovisual que se pretenda sem grandes inconvenientes ou dificuldades.
Assim, numa bela tarde, e em resposta a um pedido deste tipo vindo de um dos pimpolhos, foi o pai ligar o ordenador. Acedeu à netinha para navegar com destino ao sítio dos filmes e escolheu aquele pretendido. A criança, de olhos bem abertos e impaciente pelo início da animação, deixou-a sentada na cadeira e foi à sua vida de pai satisfeito por agradar a cria. Tudo preparado para alguns minutos de pura diversão infanto-juvenil ingénua e pura, mas…

Um à parte: quem costuma visitar estes grandes servidores de vídeos sabe que, quase sempre, antes de cada filme existe uma publicidade a qualquer coisa. São telemóveis, produtos de higiene, comida para cão, qualquer coisa se vende a quem tiver uns segundos de paciência ou muito interesse em ver o vídeo que vem a seguir.

Como ia dizendo, a criança esperava ansiosamente pelo início do boneco e eis que, ao invés de um desenho colorido e infantil, surge um comercial de uma famosa marca de quê mesmo? De quê? De rebuçados? De chocolates? De gelados? De brinquedos? Não? Então de quê, caraças... suspense...tcharam:  PRESERVATIVOS!!! E não eram uns quisquer, não, eram preservativos que diziam ser “sensação pele com pele”!!! Mas que o quê, em nome de um deus qualquer, é “sensação pele com pele”?! 

Mas quem foi o génio que plantou uma propaganda semi-erótica antes de um vídeo infantil!? Quem achou conveniente por um comercial com esfregação e pecado num canal de animação? Tudo bem que era de animação que se estava à procura mas não desse tipo, caramba! O que valeu foi a destreza do pai em dissimular a cena.
 Não quero censurar nada aos pequenos mas cada coisa a seu tempo, ok? Sei que existem miúdos precoces mas que os meus o sejam em matemática ou literatura báltica.

Já estava ciente de que a net era coisinha insegura e promíscua mas isto parece-me algo exagerado.