21 janeiro 2010

Livro de instruções

O meu sol está na oficina para a revisão e estou com um carro emprestado pelo Stand da marca. Acho o carro confortável e tal, mas tem imensos botões. Botões para os vidros, para os retrovisores, para o rádio, para o cruise control, botões e mais botões. Tal é a confusão de botões que ainda não dei com o botão que "sopre" o ar para o vidro quando este fica embaciado!
Assim não! Tenho saudades do tempo em que, para guiar um carro, não necessitava de briefing ou livro de instruções. Aliás, sempre achei piada ao livro. Sempre com a foto do carro em branco e o desenho dos comandos e botões (essenciais) com as respectivas funções identificadas. Será que há pessoas que necessitam das informações das primeiras páginas "tipo": "como ligar o automóvel"?

Por causa dessa história dos milhentos botões e livros de instruções, numa conversa com uma amiga, ficamos a conjecturar sobre a utilidade daqueles manuais nos aviões prestes a cair.
Na Natgeo está sempre a passar um programa sobre acidentes aéreos. Em (quase) todos existe uma parte em que se acende uma luzita qualquer. O primeiro fulano a reparar no pisca-pisca (nada a ver com o post anterior), que nunca é o engenheiro de voo, diz a este último para ir ver do que se trata ao manual de instruções. A primeira pergunta é: esse engenheiro é o Sócrates? Se o gajo é engenheiro aeronáutico daquele modelo de avião, não deveria conhece-lo de trás para a frente? Podem dizer: sim claro, e tu conheces as pu"#$ das doenças todas, não? Ok, eu não conheço, mas ninguém ainda deu entrada no centro de saúde com uma luz a piscar...
E até parece que o avião está a espera de que o engenheiro, finalmente, descubra para que porra serve aquela luz para desatar a cair. Parece dizer: "demoraste muito, agora é tarde".
Com o avião a pique, com o nariz apontado para o solo, as imagens ficcionadas do cockpit mostram o homem, agarrado ao banco, a gritar o que ele pensa que se passa. Acho que é o que menos interessa naquele momento, o piloto quer é uma solução... e rápida.
Talvez deva existir, nos manuais dos aviões, um aviso do tipo: "se acender essa luz significa que estás Fod"#$". Era mais simples e evitava dramas desnecessários.

Voltando aos automóveis e seus botões, num domingo qualquer, estava a assistir ao TVturbo da Sic Notícias. Nesse programa faziam a "antevisão" (essa palavra é linda) do novo Opel Astra, passe a publicidade. Parece que o tabliê do carro tem 65 botões!
Acho que tinham botões para tudo menos para ejectar o condutor. Aliás, ter um botão de ejectar num carro desses seria um perigo: o que é que um fulano faz quando não sabe para que servem os botões? Experimenta todos! Era ver gajos a voar nas auto-estradas.

Parece-me que, com a quantidade de botões que os carros vão ganhando, vamos necessitar, num futuro próximo, de um engenheiro no banco de trás...

E já nem falo dos extras todos que um gajo pode por numa viatura... mas posso vir a falar.


17 comentários :

Sahaisis disse...

cats..o teu carro é amarelo vómito...desculpa que te diga...e acho que não podes escrever disparates daqueles lá na minha taca :p

Catsone disse...

Ó amiga, o que é que queres? O carro estava baratíssimo, é exatamente o que eu preciso, anda bem e gasta pouco, achas que eu vou me preocupar com a cor? E gosto mais de sol do que vómito, para além dessa foto não ser, exactamente, do meu popó (é do google).

E escrevo o que eu qiser (até quando deixares) lá na tua tasca! :D

Gingerbread Girl disse...

HEY!! Não está provado que o Sócrates é mesmo engenheiro.

E agora vou à tasca da Sahaisis tentar descobrir o que raio foi que tu escreveste lá.

Cólicença*

Gingerbread Girl disse...

Ah, tem o blog bloqueado, a marota.:p


fui*

Catsone disse...

Ginger, vou meter cunha para teres acesso ao blog da menina Sahaisis, pode ser?

Sahaisis disse...

quais cunha quais quê...gingerbread girl, manda-me um mail para sahaisis@gmail.com e eu envio-te convite para o belhogue...

Sahaisis disse...

ah e claro, o preço conta, se verde, se amarelo, se às risquinhas ou cor-de-rosa (por acaso se fosse rosa) :P

meldevespas disse...

Mais uma curiosa que bateu com o nariz na porta.....
em relação à cor do bólide, tenho a dizer que é um carro corajoso...é preciso tê.los no lugar pra andar na rua com um ovo estrelado!
Em relação aos botões não podia estar mais de acordo, a malta fica até atordoada! Deve ser por isso que a minha Dacia Logan, é uma espécie de carro de combate, simples e eficaz exactamente como deve ser um meio de transporte! E mais nada
E beijos

Catsone disse...

Sahaisis, cor-de-rosa teria que pensar 2 ou mais vezes...

Mel, tb gosto de "ovo", já o chamaram de tanta coisa. Então quando eu digo que faço 800 Km com 30€ de gasói até perdem a compostura. Quanto à coragem de andar com um carro amarelo, estou-me nas tintas para o que os outros pensam, até porque, com a chuva que têm caído, ele está mais para o castanho que para o amarelo.
:P

Francisco Vieira disse...

Bom dia !
Gostei principalmente da parte dos 800kms com 30 aereos de bua.

Sabes que eu (bem, nao sabes mas eu vou-te contar) em 2004, quando resolvi a ir "aventurinhar-me" pra terra das couves, tinha uma Passat novinha, com dois anos apenas, de 2000 de cilindrada, a gasolina. Tentei passa-la a patacos, mas como ja so me devam metade do preco, resolvi enfia-la num contentor e despachei-a ate Matosinhos...
Maldita a hora. Tas a ver 2000 a gasolina, em Portugal?
Fica tao bem dentro da garagem, de onde raramente tem autorizacao de arredar pneus :-)

Abracos

Catsone disse...

Francisco, bom dia!
Epá, sempre podes alterar para gás natural. Fica-te tão económica quanto a gasóleo. Perdes é o lugar para o pneu, mas a mala é grande.
é só uma sugestão.

Abraço!

Cirrus disse...

A cor do meu (meu é como quem diz, quem o conduz agora é a minha esposa) é cinzento obsidiana, ou seja, azul escuro e cinza escuro quando faz sol e chuva ao mesmo tempo. Quando o comprei, há doze anos, fiz Porto-Monsaraz-Porto com um depósito!!!

Agora, que está na mão da minha menina (eu tenho o da companhia), é vê-lo a esgalhar na A4 todos os dias... Comigo não andava tanto...

Isso dos botões pode ser muito útil, mas passava bem sem eles. O Ibiza tem poucos, como sabes (o meu até é do modelo anterior ao anterior do teu), e o da companhia só tem motor, que é gigantesco. Botões, nada. Assim é que eu gosto!

Sahaisis disse...

respondi ao teu comentário futebolistico lá na tasca e para os curiosos não vos acanhais, é mandar mail com o endereço de mail para enviar o cumbite...lol

Gravepisser disse...

Para desembaciar é aquele botão que tem uma espécie de concha desenhada! É universal. Isso de fazerem automóveis com botões a mais é um pesadelo para a maioria dos condutores... Do sexo feminino!
As mulheres são muito "atarantadas" ao volante, uma vez vi uma que nem com os "piscas" (ou luzes indicadoras de mudança de direcção, para ser mais preciso xD) atinava, indicava para a esquerda, virava para a direita, e vice versa... Mas também há muitos homens assim. (ó para mim a tentar remediar, antes que venham aqui os esquadrões feministas perpetrar um fuzilamento virtual da minha (também virtual) pessoa...) :D

Catsone disse...

Ó Grave, não é o vidro de trás! é que o carro tem o ar-condicionado individualizado para cada ocupante dos lugares da frente e não encontrava o comando para "soprar" para o para-brisa.
E não escapas à fúria feminista, penso eu de que.
Abraço

João António disse...

A melhor opção é arrancar os botões a mais, sempre serviam os seus lugares para colocar esferográficas sempre úteis!
Bom fim de semana

Catsone disse...

João, era uma ideia. Mas no caso do Astra, arranjar 65 canetas é dose...

Bom fds!