09 janeiro 2010

Eu gosto é de mulher

Não podia deixar de escrever sobre o dia de ontem.
Parece que agora as pessoas podem casar com quem quiserem. Parece que é possível, finalmente, quem ama alguém, passar o resto da vida com essa pessoa, usufruindo dos mesmos direitos (ou quase) de qualquer outra dupla.
Tempos houve em que eu teria sido contra a lei aprovada ontem. Eram tempos no qual reinava o produto de uma educação católica, de direita e heterossexual tradicional. Esta educação forçava-me a avaliar como certo apenas o que era comum ou vulgar: uma normalidade condicionada.
Hoje mantenho-me heterossexual e levemente pendente para a direita, mas as experiências de vida levaram-me a encarar todos os cenários como possíveis.
Actualmente, não tenho pruridos em falar sobre o casamento homossexual. Não me custa aceitar que uma pessoa queira viver até o fim dos seus dias na companhia de quem ama, independente da cor, religião, posição política, profissão, cor clubística ou orientação sexual.
O que me custa, hoje em dia, é ver parceiros condenados a viver em relações falidas apenas porque "deus" impôs, ver mulheres batidas e violadas por mentecaptos, homens agarrados a mulheres irascíveis e fibromiálgicas, raparigas agarradas a príncipes que nunca deixarão de ser sapos. O que me custa é ver relações coladas com tudo, menos amor. Isso não quer dizer que estes problemas não ocorram com os homossexuais, onde também existem agressores e afins...
O que me custaria, ainda mais, era ter que ir às urnas votar esta lei. Custa-me ter que aguentar com a retórica do clero e beatas mal fodi"#! que vem para a televisão cuspir o seu ódio e intolerância. Se fosse para decidir se queria a porra do TGV, auto-estradas, 3ª travessia sobre o Tejo, ajudas a bancos, etc e coisa e tal, ía a correr para as urnas votar um valente NÃO!!!

A mim não mete medo o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o que mete medo são comentários como os proferidos (no jornal da SIC, se não me engano) por um rapazinho, dos seus 20 anos, que professa o fim da raça humana com a aprovação dessa lei. A esse rapaz digo apenas que a lei não o obriga a casar com outro rapaz e que ele pode tentar passar os seu genes para a próxima geração... embora isso seja deveras deprimente.


Agora um vídeo para provar que sou hetero
Mr. Green



E a versão da Ana Carolina:




Eu Gosto De Mulher
Ultraje a Rigor
Composição: Roger Moreira

Vou te contar o que me faz andar
Se não é por mulher não saio nem do lugar
Eu já não tento nem disfarçar
Que tudo que eu me meto é só pra impressionar

Mulher de corpo inteiro
Não fosse por mulher eu nem era roqueiro
Mulher que se atrasa, mulher que vai na frente
Mulher dona-de-casa, mulher pra presidente

Mulher de qualquer jeito
Você sabe que eu adoro um peito
Peito pra dar de mamar
E peito só pra enfeitar

Mulher faz bem pra vista
Tanto faz se ela é machista ou se é feminista
'Cê pode achar que é um pouco de exagero
Mas eu sei lá, nem quero saber,
eu gosto de mulher, eu gosto de mulher
eu gosto de mulher

Ooo ooo ooo oo
Eu gosto é de mulher!
Ooo ooo ooo oo
Eu gosto é de mulher!
Ooo ooo ooo oo
Eu gosto é de mulher!
Ooo ooo ooo oo
Eu gosto é de mulher!
Ooo ooo ooo oo
Eu gosto é de mulher!

Nem quero que você me leve a mal
Eu sei que hoje em dia isso nem é normal

Eu sou assim meio atrasadão
Conservador, reacionário e caretão

Pra quê ser diferente
Se eu fico sem mulher eu fico até doente
Mulher que lava roupa, mulher que guia carro
Mulher que tira a roupa, mulher pra tirar sarro

Mulher eu já provei
Eu sei que é bom demais, agora o resto eu não sei
Sei que eu não vou mudar
Sei que eu não vou nem tentar

Desculpe esse meu defeito
Eu juro que não é bem preconceito
Eu tenho amigo homem, eu tenho amigo gay
Olha eu sei lá, eu sei que eu não sei,
Eu gosto é de mulher Eu gosto é de mulher

[Refrão]

Eu adoro mulher!
Eu não durmo sem mulher!

9 comentários:

Sahaisis disse...

eu gosto e muito...da versão da ana carolina... eu acho essa coisa do amor muito bonita, acho que quem consegue encontrar isso seja com quem for é livre de o viver e demonstrar como entender, se o casamento lhes faz sentido so be it...não me interessa abolutamente nada a aprovação legal de um contrato entre duas pessoas...sejam elas dois gajos, duas gajas, uma gaja e um mentecapto, um gajo e uma mentecapta, uma gaja e um gajo normaizinhos...não interessa para nada...questão de liberdade...faça cada um o que bem entender ;)

Catsone disse...

Muito bem dizido, cara Sahaisis!

Gravepisser disse...

Nada a acrescentar, meu caro. Está tudo dito!

Abraço

pinguim disse...

Se todos os heterossexuais pensassem como tu, o mundo era mais livre e menos cretino.
Infelizmente assim não é.
Parabéns pela lucidez do teu texto.

Rain disse...

Tenho a dizer que nunca senti diferença nenhuma, talvez por ter crescido com lésbicas e gays. Mas sempre me questionei sobre a razão de eu poder escolher não casar e saber que outras pessoas que estão cá a trabalhar, pagar os mesmos impostos e a viver civilizadamente em sociedade não têm os mesmos direitos que eu. Não é que queiramos todos casar, mas quem é que se lembrou que algumas pessoas não haviam de ter direito a decidir?

E a lei da adopção espero que também mude. Tantos casais do mesmo sexo prontos a receber de braços abertos crianças abandonadas e, infelizmente, tantos casais heterossexuais a provarem que a orientação sexual não os torna mais capazes de amar ninguém. E já há imensas crianças criadas por pais do mesmo sexo a provarem que não só se integram bem como são felizes por ter pais que se preocupam com elas. Mais ainda, faz-me impressão pensar que se o pai/mãe que tem a custódia destas crianças morre, elas são dadas à família e o respectivo parceiro não tem direito a nada. Perder um filho que se andou a criar a vida toda assim sem mais nem menos por causa de uma lei que ficou por escrever... Que raio de coisa.

Maldonado disse...

Excelente post.
Subscrevo-o inteiramente.

1. Conhecia esta música através dum registo do Lobão. Não me perguntes detalhes, pois isso já foi há muitos anos, quando eu era puto...
A versão da Ana Carolina está fixe. Gostei.

2. O preconceito em relação à homossexualidade é de cariz religioso, nomeadamente judaico-cristão.
Só a doutrina judaico-cristã é que se preocupa e condena tanto a homossexualidade, pois parte do erróneo pressuposto de que o sexo só serve para procriar. Pelos vistos não somos humanos, somos animais...

3. É absurda a histeria dos conservadores que afirmam que o casamento entre pessoas do mesmo sexo acelerará o fim da humanidade.
Ninguém é obrigado a casar com pessoas do mesmo sexo!

4. A luta ainda não acabou.
O diploma em questão ainda será discutido na especialidade e caso seja aprovado terá de ser promulgado pelo PR, o qual ainda poderá vetar a lei.

Catsone disse...

Grave, ;)

Pinguim, acho que o mundo seria (ou será) melhor quando as pessoas deixarem de se preocupar com as opções dos outros e começarem a se preocupar consigo mesmas ou com as dificuldades dos outros. Quando tiverem a intenção de ajudar para evoluir. Abraço.

Rain, creio que a parte da adopção não vai se tão "pacífica". é incrível o que tenho ouvido nas ruas sobre essa questão. É que as pessoas acredita, realmente, que uma criança criada por homossexuais vai, inexoravelmente, ser homossexual como os pais. Quando pergunto como existem homossexuais hoje em dia, ficam calados. E eu que tenho visto cada coisa em determinadas famílias tradicionais...

Maldonado, essa música é um original dos "Ultraje a Rigor" e vem directa da máquina do tempo;) O restante teu comentário é semelhante ao que eu penso. Abraço.

Gingerbread Girl disse...

"...mulheres irascíveis e fibromiálgicas",uau! :o Isto soa tãoooo cool! =')
:p

Anyways, eu sou a favor desta nova lei, principalmente porque me abre todo um novo leque de possibilidades. ^^

Yah, eu às vezes escrevo comentários como se estivesse em morte cerebral. =|

Catsone disse...

Ginger, não digas coisas dessas que atiças a imaginação, lol