13 janeiro 2010

De qualquer lugar

Paula Lisboa vivia em Coimbra, mais propriamente na Rua de Tomar. Morava com a melhor amiga, Joana Guimarães, uma rapariga que conhecia dos tempos de liceu, em Braga.
As duas eram estudantes de Geografia na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e estavam no 3º ano.
Paula namorava com João Porto, que era albicastrense e vivia na Rua de Saragoça. João estava no último ano de Relações Internacionais e sonhava viver com Paula para Paris, Roma ou Londres.

Muitas vezes, nas noitadas, juntavam-se num bar da Rua do Brasil, com os melhores amigos: Rui Guarda, Carla Beja, ambos de Setúbal e um colega brasileiro de São Paulo, Washington Évora. Iam dançar para a Brodway ou para a States e bebiam sempre um Manhattan.

A vida era muito boa naquela altura

Paula tinha planos para o futuro: formar-se, conhecer o mundo, criar uma família. Ela, que nascera em Angola, nunca mais havia voltado à África e ansiava por (re)conhecer o “continente negro”.

Foi quando surgiu Francisca.

Francisca Santiago era uma linda rapariga. Seus traços exóticos denunciavam a mescla de genes indianos e lusos. Era caloira de relações internacionais, na mesma faculdade de Paula, e vinha numa espécie de intercâmbio entre as Universidades de Coimbra e de Goa.

Paula adoptou Francisca como sua caloira. Apresentou-a aos amigos que logo se deixaram enfeitiçar pela doçura da moça. Francisca tinha esse poder asiático de encantamento.

Francisca passou a ser a melhor amiga de Paula…









































No entanto, João Porto, namorado de Paula, traiu-a com a sua nova melhor amiga e ela, como boa geógrafa que era, mandou-o para a puta que o pariu!






Disneylândia
Titãs

Filho de imigrantes russos casado na Argentina
Com uma pintora judia,
Casou-se pela segunda vez
Com uma princesa africana no México

Música hindú contrabandiada por ciganos poloneses faz sucesso
No interior da Bolívia zebras africanas
E cangurus australianos no zoológico de Londres.
Múmias egípcias e artefatos íncas no museu de Nova York

Lanternas japonesas e chicletes americanos
Nos bazares coreanos de São Paulo.
Imagens de um vulcão nas Filipinas
Passam na rede dc televisão em Moçambique

Armênios naturalizados no Chile
Procuram familiares na Etiópia,
Casas pré-fabricadas canadenses
Feitas com madeira colombiana
Multinacionais japonesas
Instalam empresas em Hong-Kong
E produzem com matéria prima brasileira
Para competir no mercado americano

Literatura grega adaptada
Para crianças chinesas da comunidade européia.
Relógios suiços falsificados no Paraguay
Vendidos por camelôs no bairro mexicano de Los Angeles.
Turista francesa fotografada semi-nua com o namorado árabe
Na baixada fluminense

Filmes italianos dublados em inglês
Com legendas em espanhol nos cinemas da Turquia
Pilhas americanas alimentam eletrodomésticos ingleses na Nova Guiné

Gasolina árabe alimenta automóveis americanos na África do Sul.
Pizza italiana alimenta italianos na Itália

Crianças iraquianas fugidas da guerra
Não obtém visto no consulado americano do Egito
Para entrarem na Disneylândia

4 comentários :

pinguim disse...

Isto fez-me lembrar que a Av.de Roma, em Lisboa, é a maior do mundo, pois vai do Brasil até Londres e é atravessada pelos EUA...

Francisco Vieira disse...

Bom dia!
Porreiro. Gostei :-)

Abracos

Sahaisis disse...

dark...:p

Catsone disse...

Pinguim, taí uma coisa que não sabia...

Francisco, Boa noite e um abraço.

Sahaisis, só um pouquinho... ;)