19 outubro 2009

"Vermelho, vermelhaço, vermelhão!"


Vou responder a um desafio amavelmente feito pela Denise. Pedia ela que eu enumerasse dez pessoas e/ou situações que merecessem cartão vermelho.
Isto vai de "sopetão" e vou escrever o que vier à cabeça, mas não deve ser difícil já que complicado seria, neste momento, arranjar 10 coisas que merecessem aplausos.

Lá vai:
1- Pobreza, não só material, mas também a de espírito: eu sei que é utópico mas como é possível que, no auge dos seus conhecimentos, o Homo sapiens continue a permitir que, a metros de distância, estejam crianças a morrer crianças à fome, com frio, com doenças perfeitamente curáveis ou devido à guerra? Aliás, quando terminar este post quantas mais terão morrido?

2- Chico-espertismo: se fosse desporto olímpico já cá cantava um ourozito. O tuga é especialista no golpe, no factor C, no por-baixo-do-pano. Não é à toa que este país tem tantas rotundas, nós somos bons é a contornar as situações. O desenrascanço devia ser elevado a património nacional, não vá uma super-potência usurpá-lo para fins maléficos.

3- Críticos: a crítica é boa e faz crescer quando bem intencionada, no entanto, há muita gente dedicada à fina arte da crítica fácil e depreciativa. Existem pessoas que pensam que sabem que sabem, não sabendo que não sabem puto. E vemos estes intelectuais a destilarem venenos e espumas raivosas nos telejornais, rádios e matutinos. Estes já não iludem quem é inteligente e quem não o é também não os entende, daí a sua opinião estar sobrevalorizada. Os críticos não sabem fazer, mas criticam.

4- Desesperança...(suspiro)

5- Egoísmo: o umbigo é uma coisa maravilhosa, representa a ligação à criação e patati-patatá, mas por vezes deve-se olhar para outras direcções sob o risco de bater-se com a cabeça numa parede (ou num umbigo maior).

6- Ganância: "quem tudo quer tudo perde", infelizmente não passa de um dito popular, mas gostava de ver mais vezes acontecer dessa maneira. Se assim fosse, aqueles que vivem da especulação estariam onde estão hoje os que foram, por eles, explorados. É triste mas, provavelmente, temos alguns genes destacados para este efeito. O apetite por coisas é tão grande que não se olha a meios para se ter. O sinal em moda hoje em dia é o +.

7- Guerra: porquê lutar por uma causa que não é nossa? Porquê raio lutaria eu por problemas, desavenças e interesses de engravatadinhos e diplomatas? Os senhores da guerra que carreguem, eles, as armas e enfiem-nas nos respectivos olhos do cu. O problema da guerra é complexo e fico-me por aqui.

8- Inveja: a relva do vizinho é mais verde, o carro é mais potente, a casa é mais bonita, a família é mais perfeita, a pila é infinitamente maior. A inveja corrói e enoja; é, para mim, o pior sentimento que se pode ter. Por trás de um sorriso amarelo e um "parabéns", o invejoso esconde algo podre e cruel e isso é uma das (muitas) coisas que me assusta.

9- Política: que fique claro que gosto de política mas dava cartão vermelho a todos os políticos/partidos actuais. Não existe ninguém, neste momento, a nível nacional, que ponha os interesses dos outros a frente dos seus. Temo acreditar que nunca houve. "Ó Catsone, tão ingénuo que nós somos, hã?"; pois sou e por isso, por vezes, fico azedo.

10- Religião: fui ensinado desde pequeno que não se deve falar de 3 coisas: Política, futebol e religião; azar do caraças porque gosto de discutir as 3. A religião é a raiz de todas (ou na maioria) as discórdias, passadas e actuais. Em nome de vários deuses cometem-se (passado, presente e futuro) as maiores atrocidades e, depositando nos deuses as culpas, dorme-se de consciência tranquila.

E é isso. É triste perceber que é fácil preencher esta lista e saber que se o desafio pedisse 100, 1000 ou 1 milhão de cartões vermelhos não ficaria um único por atribuir. Mas eu já disse que não gosto de desesperança?

PS: cara Sr. professora, perdoai os erros ortográficos, de acentuação e de concordância mas, às 2 da manhã, não se pôde arranjar melhor.

2 comentários :

Sahaisis disse...

gostei da desesperança :)

Denise disse...

Deixe lá os erros que sô pessora também ela gostou imenso da desesperança ;-)