01 setembro 2009

Paixão insular

Há cerca de um ano estava num lugar que é Portugal sem o ser. Estive em algumas ilhas dos Açores. Na altura não tive oportunidade de fazer um post sobre esta viagem, mas hoje, quando faz 1 ano sobre a minha passagem por lá, resolvi escrever uma (a primeira!!!) série de 3 textos sobre a minha visita a este maravilhoso arquipélago.
Confesso que não queira ir, mas fui; essa história de "casal" tem muito o que se lhe diga.
Por não querer ir não criei grandes expectativas. Achava que nos Açores estava sempre a chover e que, paradoxalmente, a viagem seria uma seca.
Tínhamos planeado visitar 3 ilhas: Faial, Pico e S. Miguel.
Aterramos no Faial depois de um voo turbulento. Chovia e eu já dizia mal dos meus pecados. Contrariamente ao que eu esperava, estava calor. Alugamos um carro e fomos dar a volta à ilha. Aí começou uma viagem inesquecível.
Seguimos a estrada principal, que dá a volta à ilha do Faial, em direcção ao vulcão dos capelinhos. Deixara de chover e, tal como o tempo, meu humor começou a melhorar. Chegando ao vulcão a primeira paisagem de deslumbrar:


Passeamos um pouco pelas encostas do vulcão, por agora, adormecido e continuamos a viagem. Começava a ganhar gosto pela aventura. Víamos hortênsias, vacas e encostas típicas e devorávamos tudo aquilo, sedentos de conhecer mais.
Em pouco tempo demos a volta à ilha e chegamos à cidade da Horta.


Eu não fazia a mínima ideia da geografia dos Açores e foi uma grande descoberta o facto de a ilha do pico estar mesmo ali à nossa frente.

Seguimos em direcção da caldeira do Faial e aí a primeira desilusão: Não se via a ponta de um c. A névoa cobria a parte mais elevada da ilha e decidimos tentar no outro dia.
Dessa forma fomos "investigar" outras partes do Faial.

Cruzamos a ilha, voltamos à Horta e fomos visitar a caldeira do inferno.
Ficamos a admirar a beleza do lugar e depois demos um salto à praia da baía que se forma do outro lado desta caldeira.
O tempo corre depressa por aqui e logo se fez noite. Após um jantar num restaurante à beira-mar fomos tomar um café a um dos "ex libris" da ilha: o "Peter"


E "prontos", lá se foi o primeiro dia. O seguinte estava reservado para visita à ilha vizinha: Pico.
Do Faial fica a vontade de voltar nem que seja para ver o que a caldeira esconde!

2 comentários :

Rain disse...

Os Açores são espectaculares, mas a ilha do Faial é qualquer coisa que ficou cá. Talvez pelo gin tónico? Talvez pela imagem do Pico ao pôr-do-sol? Lapas? Manteiga em barra?.. Adorei :)

Sahaisis disse...

sim...o faial é extraordinário ;)