16 setembro 2009

Errar: verbo transitivo

Eu erro, tu erras, ele erra, nós todos erramos, mas eu não estou preocupado com os outros, o que me importa é que eu erro.

Quando aquela utente entrou no gabinete reparei que não estava muito satisfeita. Sentou-se a minha frente e ouviu o que eu tinha para dizer. Quando lhe dei oportunidade de ser ela a interveniente disse-me o que lhe ia na alma. Queixou-se de que eu não a escutara, que não ligara às suas queixas e que, por isso, tinha sofrido.
No momento em que percebi o que se passava fiquei espantado, sem palavras. Fiquei aterrado com o facto de ter que concordar com ela: eu errei. Por mais que me custasse, ouvi calado o que nenhum médico gosta de ouvir e fiquei surpreendido pela sua franqueza e educação.
Quando ela acabou o seu discurso fui eu que lhe dirigi a palavra. Assumi o meu erro e pedi-lhe sinceras desculpas pelo facto de lhe ter causado sofrimento com a minha falta. Ainda agradeci-lhe pelo que me disse, falei-lhe que tinha-me ensinado uma grande lição e que me esforçaria ao máximo para não cometer mais falhas como aquela.
A senhora sorriu e no fim da consulta ainda, humilde, pediu-me desculpas pelo sucedido. Eu desculpei-me novamente e agradeci.
Enquanto registava no processo pensei no sucedido. Pensei na honestidade da senhora, em como teria sido possível escapar-me aquela situação, no que poderia ter feito melhor. Chateei-me comigo próprio por ter sido um tipo de profissional do qual tenho repulsa, daqueles distraídos e negligentes. Valeu-me o facto de acreditar que não fiz por mal e que "errar é humano...
Estremeci ao chegar a conclusão que este não teria sido o primeiro erro da minha carreira e, definitivamente, está muito longe de ser o último.

6 comentários :

Max disse...

Palavrinhas-chave no meio disso tudo: Honestidade e Educação.
Parece-me suficiente :P

Ah, e só não erra quem não faz nada (apesar deste facto, por si só, já ser um erro...)!!

forteifeio disse...

Para mim prova que tens todas as condições para aingires o patamar mais alto. Uma pessoa que compreende o erro que fez involuntariamente e dá o peito às balas é alguém diferente da maioria cobarde, eu se erro fico a roer-me, porque sou eu o meu mais feroz julgador. Tenho a certeza que a senhora compreendeu a vida é feita de liçoes como disseste e de vivênciasn uns crescem outros não.

Abraço

Sahaisis disse...

Happens...happens all the time...e continuará a acontecer sempre...na mesma sala terás doentes que só te têm a agradecer e por quem conseguiste fazer tudo bem e outros que pela conjungação das circunstâncias estarão na situação contrária, o importante é que só não erra quem não tenta...tenho pensado muito nisso (da anatomia do erro) e apesar de achar que nunca existe desculpa para a falha, o facto é que não somos perfeitos e lidamos com pessoas e no Homem nada, mas nada é linear...aquilo que num é uma gastroenterite noutro pode ser o primeiro sintoma de um tumor do cólon, ou uma miríade de coisas...reflectir é o essencial ;)e se não o fizesses aí sim seria preocupante

Inconstante disse...

que tenhas a sorte de te cruzar com muitas pessoas como essa senhora: honesta e educada
porque nós erramos, vamos errar sempre e se de vez em quando não temos alguém que nos diga de forma positiva e construtiva, podemos cair no erro de achar que fazemos tudo bem, e esse é o maior dos erros

Catsone disse...

Max: infelizmente há muitos dicionários que não possuem essas palavras.

Forte: gracias. Não gosto de errar, mas é um mal necessário.

Sahaisis: Na consulta a seguir a esta, entrou-me um senhor pelo gabinete adentro que me agradeceu imenso pela minha actuação numa outra consulta. Isto é uma montanha russa. Não tenho a pretensão de agradar a todos, mas cou tentando, lol.

Inconstante: Essa é uma ilusão perigosa: pensar-se que se faz tudo bem. Como disse ao Forte: é um mal necessário.

Sahaisis disse...

respondendo à tua questão lá na tasca: alguns anos de ballet (no inicio da vida) ajudam e depois para algumas vem naturalmente muhahahah =)...mas sim quando atravesso a calçada lisvoeta em direcção ao hospital em cima de uns daquela altura tenho algum medinho...:p