11 setembro 2009

Do mesmo saco

Eu quero votar. Sempre votei e desta vez não será diferente. No entanto, eu já tinha escolhido em quem votar mas, depois de assistir aos consecutivos debates, lá se foi a minha certeza.
É incrível o que se está a passar no panorama político nacional. Não gostamos do governo actual e
olhamos para a direita e esquerda e não se vê alternativa... credível.
Vejamos a minha situação:
Sócrates: fora de questão! Se eu quisesse alguém arrogante, mas competente, votava no Mourinho. Não gosto da postura, atitude, prepotência e, principalmente, da política do PS nacional. O programa é mais do mesmo e o que vem de trás quero esquecer.
Manela: é inacreditável que o maior partido da oposição encontre nesta senhora a sua presidente e, por conseguinte, a sua candidata a PM. Ver um debate onde ela participe é de ficar de boca aberta; ela não é empática, não é maleável politicamente, não conhece os programas dos adversários e, depois da visita à mui democrática Madeira, perdeu t
oda a minha consideração. Eu ainda me lembro das propinas universitárias, cara candidata!
Louçã: aqui estava a minha escolha. Quase como protesto eu, que sempre fui centrista, iria votar neste senhor; mas eis que veio o debate contra o actual PM e o resultado foi... desilusão. Como é possível ser-se apanhado com as calças nas mãos com ele foi? O Sócrates falou metade e mesmo assim deu-lhe uma tareia. Ó amigo Louçã, agora é que me lixaste, pá! Como foi possível expores assim o teu calcanhar?
Jerónimo: Jeróóóóóni
mooooooo. Apesar de simpatizar com o secretário geral do PCP, este nunca foi a minha visão de política. "Nacionalizar, nacionalizar, nacionalizar", não é a toa que lhes chamam cassetes.
Portas: eu confesso que já votei CDS, e mais do que uma vez! O PP é demagógico
? Sim. O PP é populista? Yap. Se concordo com algumas coisas que ele diz? Errr... sim. A questão é que não dá para confiar num partido que ainda tem tantos processos pendentes do último mandato como governo.

Epá, não 'tá fácil! Tantos quadrados para apenas um X. Tão poucas cadeiras para tantos cansados. Tão poucas ideias para tantos problemas.

No fim das contas são todos iguais; todos farinha do mesmo saco.



E saber que, como o próprio Sócrates diz, no final será PS ou PSD... isso assusta um bocadito.

3 comentários:

Ana Ferreira disse...

Ora eu que costumo ver os debates para tentar perceber qual será o voto acertado, já que sou politicamente aluada, fiquei também bastante confusa. Principalmente quando o objectivo central é atacar em vez de dar a conhecer programas e discutir divergências.
Mas por muito que custe, o 'socras' tem razão. Acaba por ser sempre um dos dois.

André Novo disse...

se puder ajudar...

http://www.bussolaeleitoral.pt/

Catsone disse...

Ana, até agora o debate que onde menos se atacou foi entre o Louçã e o Jerónimo. Até deu para bocejar. Os debates têm que ser debates. as ideias de cada partido têm que ser postas à prova sob o perigo de passarem sem contestação. Esse debate acima foi uma perda de tempo. O Sócrates tem razão em algumas coisas, pena é que são muit(íssim)o poucas.

André, bem-vindo a esta tasca, obrigado pela dica. Já fiz a bússola e é muito fácil engana-la ;). Deu-me um resultado estranho: mais próximo do MPT e mais longe do BE ( e bem longe do PNR!!!).