11 abril 2005

Portugal, país de tristes?

Há algum tempo atrás, li um artigo qualquer que dizia que nós, portugueses, éramos um povo muito triste. Então perguntei-me sobre qual seria a razão para tal? A conclusão a que cheguei foi que não existia motivo algum para tristeza, muito pelo contrário, tínhamos motivos, de sobra, para estarmos a rolar no chão de tanto rir! E ainda temos.
É muito fácil ser-se comediante em Portugal, o país dá todas as condições para isso, basta ter um jornal nas mãos ou assistir a um, na televisão. Ou então, em alternativa:
- Assistam uma sessão da assembléia da república e riam até não poder mais;
- Vejam um jogo do FCPorto e é pura diversão;
- Leiam o Correio da manhã e vão ter dores abdominais de tanto rir.
Só não ri quem não quer!

Nós temos o Emplastro, o Alberto João Jardim, a Cinha (também Jardim), a Lili, o Castelo-branco, o Mário Soares e o Marcelo, o Couceiro e o Dias da Cunha, a Manela e o Miguelito, entre outras muitas figuras que, bem vistas as coisas, são melhores que uma dose cavalar de prozac!
É claro que temos concorrência das figuras cómicas estrangeiras como: Carlos e Camila, Bush (pai e filho, o Espírito Santo rí-se), Lula, Chaves, e o Pinochet, o Fidel, entre muitos outros; mas penso que o que é nacional é bom!

O único senão é a injustiça com os palhaços profissionais, pois esses têm que trabalhar e se esforçar muito para criar um personagem-palhaço que faça rir o público, enquanto as figuras supracitadas (e outras que não quero lembrar) não fazem qualquer esforço, são palhaços naturais!

Fiquem bem.

2 comentários :

Balhau disse...

Sim é verdade! O produto "palhaços" é do mais alto nivel. O governo portugues aprovou agora uma nova lei que proibe a importação desta mercadoria e que visa aumentar as exportações em "50%", as provisoes apontam para uma melhoria significativa do défice...

Catsone disse...

oh não, vai começar a produção em massa!!!Fujam enquanto é tempo!