01 agosto 2009

Férias 2009

Chegaram as férias.
Apareci novamente no Allgarve, sabem, é o jet 7 e tal...
Depois da A1, A13 e A2 já não HÁ mais dinheiro que pague tanta auto-estrada.
Acho a viagem aqui para baixo o máximo. É incrível o que se pode apreciar em 350 Kms de estrada lusas. O ano passado eram os GPS's que estavam na moda, este ano são mesmo os idiotas.
Eu andei sempre nos 120/130 Kms hora e, quando fui obrigado a ultrapassar outro mais lento, lá vinha um indivíduo qualquer, no seu "maquinão", a acender os faróis desde 300 metros mais atrás.
"Ó camarada, estás com pressa? Arra
ncasses mais cedo de casa que já lá estavas"
Era um "enxame" de carros nas vias, mas o mais estranho era que a via da esquerda estava sempre mais congestionada. A via da direita foi sempre o melhor lugar para circular, estava mais desimpedida.
Depois de 3 horas de condução, resolvi parar numa estação de serviço para esticar as pernas e tirar "água-do -joelho". O bar/café/restaurante estava cheio de veraneantes barulhentos e sedentos de férias, um horror! Lá vou eu à casa-de-banho fazer o serviço mas observei a distância de segurança anti-s
alpicos e anti-espiadelas-esquisitas do vizinho. Sentia os pés chapinharem numa mistura de água e urina, num calor infernal dos secadores de mãos. Ah, se as mulheres soubessem as nossas dificuldades...bendita "shy-bladder".
O barulho naquele estabelecimento era algo só semelhante ao trabalhar de um F1. Porquê as pessoas em férias são tão barulhentas? Já repararam? Na praia, para além da gordura extra-biquini, os gritos são outra coisa garantida. Gargalhadas, choro de crianças, vendedores ambulantes, motas-d'água, tudo foi feito para ser o mais turbulento possível.
Retornei ao popó e meti-me na estrada novamente. Meter-se é a palavra certa, porque entrar na estrada nessa altura é um acto destemido. Um microsegundo é o tempo que se tem para tomar balanço e se enfiar o carro, entre outros dois, e seguir no fluxo de viaturas. Lembra-me sempre as imagens do corpo humano e a corrente sanguínea. Aliás, se o Norte fosse a cabeça do país e o Sul, nomeadamente o Allgarve, fosse o pénis, Portugal em Agosto tinha uma sínco
pe, tal é o fluxo cá em baixo.
Mais um carro à frente e mais uma "desrespeitosa" ultrapassagem minha. Parece que se tem que pagar uma taxa suplementar para se usar a faixa da esquerda, vem logo outro anormal a esbracejar atrás. Embora eu vá a 140km/h e já tenha direito à multa, o fulano que vem a 200 é que tem razão.
"Ó amigo, tás nervoso? Morde a testa"
E volto à direita, um local mais sereno e civilizado.
Cheguei à portagem final da A2, e vi um batalhão de GeNeRe's a trabalhar. Estavam a ter gostosos "chats"com os muitos que me mandaram às favas, ao longo do trajecto, por estar a cumprir o código. Não consegui evitar um sorriso maquiavélico...
E foi só o primeiro dia.



"Vamos a la playa oh o-o-o-oh
Vamos a la playa oh oh
La bomba estallo
Las radiaciones tuestan
Y matizan de azul"

6 comentários :

Sahaisis disse...

ah ah...por isso é que eu nunca na vida vou para o algarve...tenho uma vaga recordação de um portimão demasiado congestionado...e não...não é para mim...admiro a tua coragem, da tua senhora e da tua miúda por nascer :)

Denise disse...

Eu moro no Algarve. No Verão só me apetece fugir... :-(

Catsone disse...

Sahaisis, vale a pena, nem que seja para descansar.

Denise, para quem disto todo o ano, mais vale ir para cima e apreciar as belezas do norte.

forteifeio disse...

Catsone

Disfruta das férias.

Catsone disse...

Forte, tks.

Balhau disse...

Denise: Se quiseres podemos trocar! Aqui para o norte tem montes de rios inquinados e gente sem princípios a cagar a àgua de todas as maneiras possíveis e imaginárias.. Ias gostar...