03 abril 2009

A TV cabo e o HSV

Sinto uma vibração no bolso das calças. Penso em quem será que me estará a importunar no meio de uma reunião de serviço.
Muito discretamente, tiro o telemóvel do bolso e atendo o número não identificado:
"Estou?"
"Seria possível falar com o Sr. Catsone?"
"Nesse momento não!"
E desligo a chamada ao percebendo que se trata de um call-center qualquer para surpreender-me com uma grandiosa oferta, provavelmente, da TV Cabo.
Bando de chatos. Compreendo que é o trabalho dos fulanos, mas importuna!
10 minutos volvidos, a mesma sensação vibratória e o mesmo número não identificado. Rejeito a chamada. Mais 10 minutos, nova chamada e nova rejeição. Outros tantos minutos e mais uma tentativa infrutífera de contactar com o incauto cliente. Desistem... mas não por muito tempo.
Uma pequena analogia: o herpes simplex (que não é nenhuma criação, simplex, do governo Sócrates) é um vírus cujo único hospedeiro é o homem. Depois de infectado, o indivíduo alberga o vírus durante toda a sua vida. Este é o famigerado microorganismo que dá aquelas, bonitas, lesões labiais, tão vistosas e desejáveis. O que chateia no vírus é que ele estará sempre lá, latente, mas de vez em quando acorda e diz olá sob a forma de reluzentes vesículas cutâneas.
O Call-center da TV cabo é assim: um belo dia assina-se um contracto e se é "infectado" pelo serviço TV cabo. Tudo fica bem durante um ou dois meses e é, então, que se recebe a primeira chamada. É-se simpático qb e tudo parece resolvido... mas não. Alguns dias depois, nova chamada e as coisas começam a azedar. Isso para dizer que, como o HSV, também o call-center da TV cabo fica latente e ataca de vez em quando.
Voltando ao episódio. Acaba a reunião e eu já nem lembrava das chamadas insistentes. "Pego" no carro e vou para casa. No meio do trajecto o que acontece? Hã, o quê? Pois é, ligam-me novamente, dessa vez uma senhora:
"Estou?"
"Estou sim."
"É o Sr. Catsone?"
"Sim."
"Aqui é da ZON/TV cabo (tcharam!!!). Queríamos melhorar o seu serviço ZON/TV cabo e..."
"Desculpe, mas não estou interessado."
"Sim, mas é que..."
"Peço desculpa por ser você a ouvir, mas estou um pouco agastado com as vossas 3 chamadas telefónicas mensais. Conto com o pagamento e com as vossas chamadas e, que me lembre, só contratei o serviço de televisão e não o apoio ao cliente. Gostaria de dizer que se for importunado mais uma vez, cancelo o serviço. Quando quiser alguma coisa vossa, sou eu que telefono, ok?" (Quem é que manda aqui, hã!)
"OK, vou assentar aqui o seu comentário. Tenha um bom dia."
Tu-tu-tu-tu...
No fim fiquei sem saber se a porcaria da promoção, que eles estavam a fazer, era alguma coisa de jeito...

5 comentários :

Rain disse...

Não sou cliente TVCabo portanto eles não me ligam e a Cabovisão por acaso não tem essa mania. Mas o que me irrita PROFUNDAMENTE é a "abertura de uma agência de viagens da Interpasse em VFX". Andam há pelos menos 6 anos para abrir e eu estou farta de dizer que vivo em Aveiro. Da última vez expliquei detalhadamente como se marcam viagens baratas sem ser através da bela comissão deles e finalmente desligaram-me o telefone. Será desta?...

Sahaisis disse...

Tem esse reverso da medalha...meo...

MA-S disse...

Meo...o comando...é teo...e quem se lixa és tue! LOL

Catsone disse...

Rain, a esperança é a última a morrer...

MA-S, lol, para clientes do norte, carago.

MA-S disse...

Pode ser "para clientes do norte", mas o facto é que o fenómeno "lixar" nã olha a regiõezes...meo!