17 julho 2011

A confissão

Para o desafio "Segredo" da Fábrica de Letras:


A confissão

Maria sentiu o telemóvel a vibrar no bolso apertado da calça de ganga. Estava no silêncio, não queria chamar a atenção a meio da aula. Retirou com grande discrição o aparelho e não conteve um sorriso assustado ao ler o que continha a missiva electrónica:
“Maria, estou há algum tempo para te dizer algo que só pode ser dito pessoalmente. Um segredo que não posso mais esconder. Se puderes, vem ter comigo ao nosso lugar depois das aulas. Bj. Marco”.

Marco era o melhor amigo de Maria. Era “apenas” o melhor amigo porque Maria ainda não tinha tido coragem de lhe dizer que o queria de outra maneira. Duma maneira como nunca quis ninguém. Queria-o muito para além da amizade, muito para além do abraço e do beijo fraterno na face.

Enquanto caminhava apressada para casa, conjecturou inúmeros cenários para a tão esperada revelação. “Será que esse segredo é o que eu penso?” , pensava. Imaginou o amigo de joelhos a confessar o quão difícil foi criar coragem para lhe dizer que a amava e a dificuldade de esconder tal sentimento. Imaginava “Nothingman” a tocar ao fundo e o sol a esconder-se por trás dos montes que se vêem de onde se costumam encontrar. De tanto antecipar a cena nem deu por ter chegado à sua casa.

Foi ter com a sua irmã gémea, Laura. Mostrou-lhe a mensagem como que desvendando o terceiro segredo de Fátima. Laura ficou boquiaberta, mirou Maria nos olhos e abraçou-a. Ao saltos no meio do quarto pareciam duas tontas do tempo do liceu quando bastava um olhar do menino bonito da turma para perderem as estribeiras.
Laura dizia repetidamente “o que é que eu te disse? Não te tinha dito? Eu sabia, eu sabia!”. Riram-se desalmadamente, conversaram em algazarra, de tal forma que toda aquela maluqueira chamou a atenção dos seus pais.

“O que combinaste com ele”, perguntou Laura.
“Vamos encontrar-nos na encosta”.
“Oh, man”, suspirou, “vai ser uma cena digna de um bom filme meloso”.
“Estás é com inveja” e mostrou-lhe a língua.
“Maria, quem não estaria? O homem é tão jeitoso!”.
“O que visto para esta ocasião?”.
“Vais sexy e irresistível, mana!” disse Laura enquanto corriam para o roupeiro do quarto de Maria.
Depois de uma curta procura, encontraram um vestido que concordaram adequar-se à situação.
Laura penteou a irmã, aplicou umas mistelas coloridas na sua face e ajudou-a a maquilhar-se.
Depois de algum tempo Maria pousou para si própria à frente do espelho: estava linda… ainda mais.

Como combinado, Maria foi ter com Marco à encosta que fizeram seu ponto de encontro. Naquele lugar já lhes tinham corrido litros de saliva em longas conversas e cantigas de escárnio. Foram cúmplices de vários crimes de difamação e, s
e aquele lugar pudesse falar, teriam muito com que se preocupar.
Marco já lá estava. Visivelmente nervoso, olhou para ela e soltou um “uau” prolongado e com vários pontos de exclamação.
Ela sorriu… e corou.

Depois de um curto período para se acomodarem nos devidos lugares, Marco começou a conversa libertando uma voz estranha e tremida:
“Maria, já deves imaginar porque te chamei cá”.
“Imagino” respondeu Maria prontamente.
“Não sei por onde começar. Juro não ter sido a minha intenção, mas aconteceu sem me aperceber e agora estou assim: numa encruzilhada. Sabes que eu gosto muito de ti, que és a minha melhor amiga e que não podia te esconder nada”.
“Sim, Marco. Eu compreendo…” dizia sôfrega.
“Deixa-me falar ou passa-me a coragem. Maria, vou contar-te meu segredo, vou confessar-me…”
“Diz-me, Marco”.
“Maria, estou apaixonado!”
E os olhos da moça humedeceram-se…

Maria chegou à casa lívida e visivelmente perturbada. A irmã, que a esperava “em pulgas”, ficou preocupada com o estado da moça.
“Maria, o que se passa? Porquê estás assim? Diz-me, mana, diz-me!”
Maria então chorou. Deu um abraço tão apertado à Laura que conseguia sentir o seu coração assustado.
“Sabes que eu amo-te profundamente, Laura” e, olhando-a profundamente nos olhos, completou “e o que se passou é que o Marco também…”


16 comentários :

Cirrus disse...

Excelente reviravolta à Hitchcock.

Sahaisis disse...

textos destes fazem-me pensar o seguinte:
ainda bem que eu e a minha irmã sempre tivemos gostos totalmente distintos :p

p.s: "boa malha"

pinguim disse...

Eu só sabia que não era o previsível...
Depois havia vários cenários, mas quando falaste em irmã gémea, pensei logo no que seria o segredo.

Catsone disse...

Cirrus, quem dera tivesse 10% desse génio... mas obrigado na mesma ;)

Sahaisis, mas quem escolheu foi o moço. Se o Pedrinho escolhesse a tua mana... (só provocação:D)

Pinguim, amigo, comigo é tudo menos o previsível, lol. Abraço.

Mz disse...

Então ele encontravasse com ela para se sentir mais próximo da outra?

:)

Sahaisis disse...

pensei nisso depois de fazer o comentário...não tinha sorte, a minha irmã está casada :P

Catsone disse...

Mz, quem sabe? Os homens são (quase) todos uns gandas pulhas! :D

Sahaisis, então já não corres esse risco ;)

El Matador disse...

Gémeas. Hummm. Se ele fosse esperto, tirava partido da situação em vez de revelar o segredo feito maluco..

Catsone disse...

Matador, é preciso ter estaleca para aguentar com duas, pá (não sei, foi o que me disseram).

Mz disse...

Ui... que grande erro que cometi lá em cima...
(...encontrava-se...)

Catsone disse...

MZ, deixa lá estar, é o acordo ortográfico ;)

soninha. disse...

Muito evidente!abçs e paz.

Catsone disse...

Soninha, não percebi, o fim era evidente? Abraço.

Eva Gonçalves disse...

Também suspeitei que fosse esse o segredo... rrsss se calhar vemos todos muitos filmes, é o que é!! :))Mas gostei, estava engraçada a ideia e manténs o suspense até ao fim :) Beijinho

Briseis disse...

Hum... estive a ler os comentários e, realmente, era de prever. Há muitas histórias que exploram este tema. Mas, para dizer a verdade, eu pensei que ele era gay!lol

Mas gostei... É de muita sensibilidade a forma como contas as tuas histórias. Dá gosto ler!

Catsone disse...

Eva e Briseis, é o que dá ter leitores inteligentes ;)
Tenho que começar a dar pistas mais subtis.