30 julho 2010

Feio é morrer


Este senhor da foto era forte e era o Feio. O Tóni, o António ou o Zé da Trincha. O Tóni foi um exemplo de força nestes últimos tempos; de força numa luta desigual. Acabou por perder a batalha mas fez frente à malvada e vendeu cara a derrota.
Tive a sorte de o ver, a ele e ao seu grande amigo JPG, no teatro José Lúcio. Nessa altura já se sabia da doença e mesmo assim o espectáculo aconteceu, num exemplo de profissionalismo e dedicação ao seu público.


No ano passado, enquanto estava de férias, morreu Solnado. Este ano, enquanto estou de férias, morreu o Feio.
Nunca mais tiro férias ou corro o risco de perder as poucas pessoas que me fazem rir.

Até sempre, Tóni!

6 comentários:

Gravepisser disse...

Uma triste coincidência, terem morrido mais ou menos na mesma altura...

Os grandes estão todos a partir, restam-nos os seus imitadores, que na maioria dos casos, não têm piada nenhuma.

RIP

Sahaisis disse...

ora discordo, a forma como se morre pode não ter nada de feio, já tirar férias pode ser feio, se eu não estiver também de férias, nao sentindo ponta de inveja, de quem, como eu tb está :P...já a morte do feio, tem o seu quê de feio e triste pela perda que representa :P...p.s: quanto ao mestrado, não é dificil, mas respondi te na tasca :P

caminhante disse...

ambos grandes homens que nos privilegiaram com a sua presença nas nossas vidas... quem sabe não estarão juntos a fazer rir outros seres?

Ava disse...

Foi uma pedra que me entristeceu bastante, também no meu período de férias. O António era um actor fabuloso, um artista que em que muito vai empobrecer este nosso país tão necessitado de coisas belas.

Partilho aqui a minha tristeza, o meu respeito e a minha admiração por alguém especial que partiu prematuramente.

Abraço, Ava.

Pronúncia disse...

Um enorme aplauso de pé. Ele merece-o.

pinguim disse...

Batalhou até ao fim, embora sempre ciente de que sairia derrotado; mas essa era a sua forma de viver - chegando mesmo a gozar com o cancro que ele sabia incontrolável.