05 dezembro 2011

Esmola - repost

Em época de Natal e aproveitando o tema deste mês da "Fábrica de Letras", faço um re-post de um texto de Dezembro de 2008:



Esmola


Sexta-feira caminhava pela cidade, preocupado em comprar uma prenda de aniversário para a minha "mais-que-tudo". Apressado e olhando para todas as montras, queimava meus (poucos e cansados) neurónios na tentativa de imaginar algo que fosse "simpleszinho mas bonitinho".
Nessa confusão, passei pelos correios e, mesmo ao lado da porta, como um guardião, um senhor de idade e com a mão estendida segurava uma boina virada para o céu. Não dizia nada mas pedia uma esmola.
Passei por ele como um Ferrari passa por um carocha na A1, mas a minha consciência (que carinhosamente chamo de Ofélia), essa senhora da vida que mora na minha mente e não paga renda, picou e moeu a minha cabeça, chamando-me nomes por não ter dado atenção àquela pobre alma.
Defendi-me dizendo que não era o único e que outras pessoas passaram por ele sobranceiras, ignorando-o imperialmente; ela simplesmente mandou-me pró car"#$.
Não sei se existirá "conciêncicídeo", de qualquer forma tal acto teria que passar, inevitavelmente, por um suicídio, o que não me agradou muito naquele momento.
Decidi que se comprasse alguma coisa, em qualquer loja, passaria de propósito à frente do senhor e deitaria, na sua boina, uma quantia qualquer de dinheiro.
Dito e feito, após adquirir algo que fizesse a minha senhora esquecer o erro que cometera há alguns anos, passei pelo homem e "amandei" para a sua protecção capilar duas moedas de 0,20€ que tinha a mais na carteira. As moedas aterraram no chapéu e não bateram em mais nenhuma; as pessoas estavam tão imbuídas de espírito natalício que, na rua, só viam pais-natais, duendes e corninhos de renas.
O homem instantaneamente sorriu um sorriso vazio e disse: "Muito obrigado e um feliz natal!"
Aquilo desconcertou-me e, apesar de ser algo que eu já esperaria que o homem dissesse, foi dito de uma forma incrivelmente verdadeira e agradecida. Algo que, se calhar, não faço todos os dias.
Fez-me muito bem e concluí que, afinal, aquela esmola não foi para ele: foi para mim.


18 comentários:

Rain disse...

Não estava à espera de um post teu assim, muito natalício! ;)

Espero que continues com o mesmo espírito no dia 24! He he

Beijocas e até lá***

Catsone disse...

Em vez de escrever tanta "bobagem", vou procurar postar coisas que acontecem no dia-a-dia.
São incomparavelmente mais estranhas e divertidas!
Este ano não estou muito inspirado para o dia 24... parece que a solução passa por plagiar antigos natais.
Bj

Sahaisis disse...

creio que o termo adequado é consciêncidio. estou avisada. ainda nem fiz compras de Natal, nem tenciono, trabalho na véspera e no dia de Natal, uma óptima desculpa para ser sovina :p
ahh...quanto ao link tb estás lá..lol

Badmadafaka disse...

Que entrada fabulosa.
Lembra-me de virar a pila para o céu, por fora das calças, da próxima vez que formos jantar ou tomar um café. Quem é grande, é grande sempre e em qualquer situação.

Catsone disse...

Sahaisis: ;)

Bad, má friend, é sempre um prazer receber afirmações tão generosas como as tuas. Beijinhos nas nádegas.

Balhau disse...

O que sentiste é, a meu ver claro, algo muito bonito. É bom saber que tens uma puta que mora na tua cabeça. Eu tenho um bebedo que me aconselha de maneira semelhante. Há uns fins de semanas atrás fui passar um fim de semana a Lisboa (já não visitava o castelo de s. jorge há muito tempo, era tempo de lhe fazer uma surpresa) e durante os dois dias de passeio esse teu espírito assaltou-me várias vezes, por diversos momentos dei por mim a estender a mão e a entregar crepitas de euros aos pobres transeuntes que me interpelaram. Confesso que das primeiras vezes que partilhei alguns dos poucos euros que trazia senti algo bom dentro de mim, no entanto ao fim do segundo dia, após ter passado por alguns indivíduos uma segunda vez em metros, eléctricos ou mesmo a pé, reparei que aquilo que eu considerava como um caso pontual, algo extremo, uma realidade pela qual não gostaria de passar, se tornara um modo de vida, um negócio, uma diferente, apática, conformada, e triste forma de ganhar dinheiro sem fazer um caralho...
Quanto ao texto, ao episódio e a forma humana com que tu trouxeste a nós esta tua aventura eu dou uma nota muito superior a 15. Parabéns catso

Brown Eyes disse...

Não voltaste para trás e aumentaste a esmola?
Um beijinho

Gingerbread Girl disse...

Eh eh eh, muito bom! :p

Se a tua consciência fosse alguma coisa de jeito, tinhas atirado para lá uma nota de €5. A gaja tem de se aplicar mais. =D

*

johnny disse...

É consciência, é consciência, mas para mandar para o car"#$ já não se importa... nem tem consciência. Acho que também tenho uma consciência dessas, que não tem consciência nenhuma, dentro de mim - o que não é nada higiénico!

Catsone disse...

Brown eyes, ficava-me bem, certo? Mas não. A vida a todos custa... ;)

Ginger, eu e a Ofélia estamos de mentes voltadas. Se ela queria dar mais que trabalhasse também,lol

Johnny, se um gajo, às vezes, pudesse fazer ouvidos de mercador à consciência, nera?

Abraços

pinguim disse...

Este será o Natal de que eu gosto...

Sahaisis disse...

Às vezes tornamo-nos tão imbuídos em nós próprios que nem pensamos nisto (nos outros). ;)

Briseis disse...

És um coração mole... =) Mendigos e pedintes há muitos mas, às vezes, encontramos um que nos sabe tocar, ou pelo rosto que trás, ou pela humildade, ou simplesmente as nossas "Ofélias" estão mais susceptívies em determinados dias. Nesses momentos é irresistível dar um pouco de nós.

Mz disse...

A consciência é terrível...
Ainda hoje me persegue a esmola que decidi não dar o verão passado a um pedinte.Verdade!

Catsone disse...

Pinguim, deveria ser assim para todos, o problema é que muitos estão a cegar pela matéria...

Sahaisi, indeed.

Bríseis, eu sou um coração mole realmente... muito às vezes ;)

MZ, a minha consciência, por piorzinha que seja, vai ajudando a que eu seja menos irascível.

Orvalho do Céu disse...

Olá,

" Das alturas orvalhem os céus,
E as nuvens que chovam justiça,
Que a terra se abra ao amor
E germine o Deus Salvador"...

Hoje estive numa Cidade grande e vi uma notória indiferença no meio da multidão que se esbarrava freneticamente... pareciam um bando de robôs...

Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que:
Seja muito abençoado e feliz, amigo!!!
Abraços fraternos de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coração...

"Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

e então saberás que eu me feri e também me curei."

(Tagore)

Utópico disse...

Muitas vezes andamos todos tão atarefados com o trabalho, as compras, a escola dos filhos, os NOSSOS problemas que não nos lembramos que os outros também podem ter problemas, bem maiores que os nossos, e que basta tão pouco para podermos melhorar a sua vida.

Mais uma vez, votos de um Santo e Feliz Natal.

Jam disse...

"uma esmola pelo amor de Deus, uma esmola por caridade..." a musica do skank, todos os dias me lembro dela quando quero entrar em casa... sim no inicio a minha "ofélia" tambem me picava mas arranjei aqui um preto grande que a picasse tb!!! :P