15 setembro 2005

Deixem voar o Mantorras!


Foi com muita satisfação, e podem imaginar porquê, que li a seguinte notícia do jornal "Correio da Manhã":

"Libertem o corvo Mantorras!

Mais de 120 pessoas já reclamaram num abaixo-assinado a libertação de um corvo chamado “Mantorras”, que a GNR levou há uma semana da aldeia de Chã, em Leiria. A comunidade sente saudades da ave, que adoptou no início do Verão depois de um incêndio, e a sua ausência até inspirou um poema.
Suspeito de matar uma galinha, ‘Mantorras’ é declarado inocente no julgamento popular: “O corvo nunca foi ave de rapina, só come o que está morto”, pode ler-se na folha de rosto do abaixo-assinado.

Foi a 24 de Agosto que os militares do Serviço Especial de Protecção da Natureza e Ambiente (SEPNA) da GNR se deslocaram a Chã, após a denúncia de uma moradora que se queixava da
morte de uma galinha ‘às mãos’ do ‘Mantorras’.

As autoridades confirmaram que o corvo tinha sido adoptado pelo proprietário do posto de abastecimento de combustíveis de Chã, Diamantino Ferreira. E, por se tratar de uma espécie que não pode ser mantida sem autorização do Instituto de Conservação da Natureza, levaram-no. ‘Mantorras’ esteve ‘detido’ na Ecoteca de Porto de Mós e encontra-se agora num centro de aves em Monsanto, Lisboa.

Os habitantes da aldeia estão revoltados. “Não tinham de prender o bicho porque ele andava livre, nunca esteve em cativeiro”, considera Diamantino Ferreira. “Foi criado aqui, toda a gente gostava dele e não fazia mal a ninguém”, acrescenta, recordando que era frequente ‘Mantorras’ ir ter com os humanos para lhe coçarem as penas.

O corvo surgiu na aldeia no início do Verão, fugido de um incêndio, e desde então costumava andar por ali, comendo o que aparecia e dormindo nas braças de um pinheiro manso junto ao posto de combustíveis.

Diamantino Ferreira não se conforma. “Morreu lá um frango à senhora, ela acusou a pobre miserável da ave e então a GNR veio aí e levou-a”, lamenta, reconhecendo que não conta rever o amigo: “Já perdi a esperança, não há nada a fazer”. Todavia, os clientes do café que explora em Chã, habituados ao corvo, estão a aderir em peso ao abaixo-assinado e um deles até se lançou a escrever um poema. A vontade de todos é única: “Que ‘Mantorras’ volte e seja livre”.
Para quem quiser saber mais fica aqui a página:http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=172867&idCanal=10

Obviamente, eu assino em baixo!!!
Fiquem bem!

Sem comentários :