11 julho 2014

Cagaço ventral

Chamo o doente ao gabinete. Vem hoje à consulta para mostrar alguns exames pedidos da última vez que nos encontramos.
Após as conversas de ocasião típicas de um encontro com qualquer outra pessoa, com os "bons dias" e "como tem passado" da praxe, peço-lhe os exames.
Depois de dar uma vista d'olhos a cada uma das provas ressalvei uma alteração no seu electrocardiograma.

- Bem, está tudo "ok" com os exames, Sr. "Manuel" (fictício). No entanto, aqui no seu ECG tem uma coisita menos bem, uma espécie de arritmia chamada fibrilhação auricular.
- Ó, Dr, eu sei porque tenho essa arritmia.
- Sabe? Então diga lá porquê (já ansiando por uma daquelas deliciosas histórias).
- É por causa dos nervos, Dr. E digo-lhe mais, até sei quando é que começou.
- A sério? O quê? A arritmia ou os nervos.
-  Os nervos... ou se calhar os dois. Pois bem, em 1900 e troca o passo, aqui perto do Centro de Saúde, houve uma trovoada muito forte. Andava eu no ventre da minha mãe, está a ouvir? Bem, acontece que nesse dia caiu uma faísca na casa vizinha da dos meus pais. O raio da faísca entrou pela chaminé e matou a senhora da casa que ficou carbonizada, está a ver? A minha mãezinha que ouviu o estrondo, e depois viu o corpo da mulher toda desfeita, apanhou uma carga de nervos tal que passou para mim que estava na barriga. Desde essa altura que sou estressado e é de certeza daí que vem essa arritmia.
- Pronto, tudo bem... mas vamos ter de tomar medicação, ok?
- Prós nervos?
- Não, Sr. Manuel, para a arritmia...

Quisera eu que tudo em medicina fosse tão fácil de explicar...

7 comentários :

El Matador disse...

está tudo ligado. :)

Catsone disse...

Killer, obviamente :D

mz disse...

Tendo em conta que estudos atribuem que o stress durante a gravidez pode causar ao feto uma espécie de desiquilíbrio... até que a causa do ECG foi muito bem explicada a si Sr. Doutor :)




Catsone disse...

MZ, se assim for dentro de alguns anos, e devido à crise, vamos ter uma população ainda mais maluca. :D
Quanto a explicação, é claramente um exagero, até pq a condição clínica é orgânica e não tem a ver com ansiedade.

João Roque disse...

Pois, se a explicação do paciente tivesse como base causas hoje em dia tão "naturais", como perder o emprego, não poder pagar a prestação da casa ou não ter dinheiro para medicamentos fundamentais, até era plausível...

Catsone disse...

João, se tudo o que envolve os pequenos estresses da vida dessem esses problemas de coração era um "deus nos acuda" para os cardiologistas...
Abraço

W. C. Fields disse...

Somos um povo de médicos e treinadores de futebol.