30 maio 2014

Foxy fox

A raposinha convidou-o para um passeio.
O pequeno e matreiro canídeo puxou-lhe pela mão e cantou-lhe doces notas etílicas na regouga, enfeitiçando-o.
Ele, não resistindo-lhe aos encantos, deixou-se ir.
Subiram o monte em direcção ao covil da pequena raposa quase sem tocar o chão, tal era a leveza porporcionada pela hipnose do etilo.
Chegaram a toca da raposinha no cimo do monte, confortavelmente encondida entre verdes parras e formosas vides, e por lá ficaram.
Comemoraram durante horas a comunhão entre os dois. Dançaram cada vez mais rápido e pularam cada vez mais alto. Ele cantou cada vez mais desafinado e cambaleou cada vez mais embriagado. Após algum tempo de júbilo consumo, aterrou violentamente no chão, vencido pela vertigem alcoolémica e pelo peso saboroso do sumo arroxeado oferecido pela anfitriã.
Por fim, perdeu de vez todos os sentidos.

A raposinha vencera o fraco humano. Do cimo do seu monte ouviu-se uma espécie de uivo de triunfo estranhamente familiar... talvez, quem sabe, por se repetir com alguma frequência. 



8 comentários :

Demian disse...

Friend, tenho uma dúvida: tu descreves estas desventuras etílicas durante o enfardamento dos néctares, pouco depois do último trago, ou no dia seguinte, durante a ressaca? :D

Catsone disse...

Amigo, Demian, estes devaneios são escritos quando o escritor está sóbrio porque, se ele conseguisse levantar a pena para escrever ébrio, sairiam lirismos épicos. É pena, portanto, que o álcool lhe incapacite fisicamente...

Demian disse...

LOL! Por acaso nunca experimentei escrever nesse estado, mas era capaz de sair algo épico também. Talvez, arranjando um intérprete? Para ditar, bem entendido... Era uma experiência! ;)

João Roque disse...

"In Vino Veritas"!

Catsone disse...

João, mas parece que a verdade depende da dose :D

Otário Tevez disse...

aprecio a tua escrita meu caro...
saudações eloquentes!

Bloga-mos disse...

Estamos em greve? Vê lá isso...

Catsone disse...

Otário, agradeço sinceramente.

Bloga-mos, por acaso, por coincidência, estou para publicar algo. Não é greve, é apenas preguiça... e muita.