14 outubro 2013

Foge, foge



Os meus amigos já se foram 
E, repara, também já se foram os teus. 
Ficámos nós os dois e os velhos e as crianças,
Os únicos com a ridícula esperança
De que melhores dias virão 
E de que terão as preces ouvidas por Deus. 

3 comentários :

nAnonima disse...

alguns dos meus também já foram. uma merda, sim. (e sem fim à vista)

Anónimo disse...

Oh, que poema tão sem esperança!:(

Claro que melhores dias virão e os amigos que andam agora, com outras coisas entretidos, vão voltar...voltam sempre!
Até eu cá virei, sempre que possa, ler os seus versos e prosas.:)

Preciso alargar os meus horizontes, entende? A ver de 'desasfixio'...:)
Adivinhe, agora onde o encontrei?

Até já!

PS: Já sei porque o pessoal fugiu:
as palavras de verificação! Vá por mim!

Catsone disse...

N's, e provavelmente também eu irei em breve...

Anónimo(a), os versos são sobre a imigração e a minha própria vontade de o fazer. As palavras de verificação existem pq tenho posts cheios de mensagens de "bots".
Assim, sem mais nenhuma pista fica difícil sequer ter uma ideia de onde me encontrou (embora ache que foi um grande azar seu :D )
Bem-vindo(a), já agora, a este tasco.