01 novembro 2011

Jogo das bolinhas

Na RTP Informação:
"O golfe é um desporto individual, uma luta constante entre o jogador e o campo"

Tentava um entusiasta do golfe justificar a importância do "desporto" para a economia nacional e disparou tão eloquente e poética frase. Não se conforma, o pobrezito, com a intenção de taxar este tão luso "desporto" com o IVA a 23%. Receia a perda de turistas para o Allgarve, algo que deverá acontecer por culpa, única e exclusiva, desta medida disciminatória, abusiva e inconsequente, já que o subsídio de férias foi ao ar e os ricos portugueses não terão como sustentar este tão saudável e atlético "desporto". Ok que a maioria dos "atletas" não são tugas; ok que a Europa está em crise e os estranjas não têm tanta cheta como antigamente; vão ter de cortar nos "caddys" (já que está na moda cortar nos assalariados.) ou por cabras a "aparar" a relva.

Compreendo a posição dos golfista já que, esta medida, é mesmo discriminatória.
Passo a explicar:

No entanto, antes de mais, tenho que confessar a minha dificuldade em encara
r o golfe como um desporto. Não o consigo comparar com a natação, atletismo ou mesmo o futebol. É-me difícil imaginar um senhor balofo, agarrado a um saco cheio de paus, equipado com um Havana e uns sapatos brancos de gosto duvidoso e que não consegue percorrer uns metros senão montado num carrinho de supermercado com motor, como um exemplar desportista. Considero o golfe mais um jogo com um tabuleiro gigantesco e de manutenção dispendiosa, onde tanto se pode jogar como alimentar uma manada de búfalos, outros ruminantes endinheirados ou hooligans de férias.
O golfe é tanto um desporto como o são o automobilismo, o bilhar, o tiro ou o bowling.

E é por não ser um desporto que acho bem que o golfe não seja sujeito aos 23%. É um acto discriminatório relativamente a outros jogos tipicamente lusitanos. Então vejamos, a sueca, o sobe e desce, o chinquilho, o solitário das repartições públicas, a coçadela dos tintins, a cusparada à distância e a sua variante, mijada à distância, e todos os "desportos" cujo objectivo é empurrar uma bola para dentro de um buraco não deveriam também ter IVA a 23%? Podem todos ser encarados como actividades desportivas e não têm qualquer taxação! Taxá-los seria uma questão de equidade tributária entre os diferentes jogos e traria dividendos ao Estado português; corria-se apenas o risco de diminuir o consumo de minis e porções de moelas e de orelha de porco e um pequeno aumento da violência familiar...




7 comentários :

Cirrus disse...

Penso que muita gente confunde jogo com desporto.

De resto, taxar o golfe pode evidentemente ser prejudicial ao turismo, até porque quem gasta milhares de euros para viajar e alojar em Portugal provavelmente vai sentir falta de vinte euros por um jogo de golfe... São perspectivas... Quem corre por gosto não cansa, digo eu. E eu, que considero dinheiro mal gasto pagar um jogo de golfe a vinte, ou quarenta ou cinquenta euros, não vejo grande diferença para gente que gasta mil euros por noite nos rsorts golfistas em que passe a ser vinte e cinco, ou cinquenta ou sessenta euros... Mas isso sou eu...

Catsone disse...

Pois, é essa a questão. Parece que alguns euros a mais pelo jogo vai fazer grande diferença aos golfistas tradicionais.
Estive algumas vezes em Março no Allgarve e vi muitos desportistas desses instalados em Vila Moura naqueles 4 e 5 estrelas "mais baratos" perto do Casino. Não me parece que esses gajos deixem de ir jogar, ir às put"# ou aos restaurantes tipicamente indianos da Marina só pq o golfe passou aos 23%. Os campos que absorvam esse imposto tal e qual irão fazer alguns restaurantes.

Sahaisis disse...

se a inteligência me abonasse a esta hora, além de rir faria um comentário inteligência.
como a inteligência não me abona neste momento, o que mais há a dizer além de:
eles comem, nós pagamos.

Catsone disse...

Sahaisis, fiquemos pela última frase que está muito bem.

Balhau disse...

Their balls removed...
Priceless

Briseis disse...

Vejo que esta pérola já tem um tempinho mas eu ando um bocado por fora destas coisas e só agora a encontrei... Muito bem, caro Catsone. É isso tudo! ...mesmo sendo eu uma grande fã do snooker, admito que não cabe naquela definição de camisola suada que associamos ao desporto. Mas cabe na de que desporto é o que envolve alguma capacidade e destreza física... Enfim, voltando aos infames 23%, até dava para estourar a rir, se não fosse tão ultrajante!

Catsone disse...

Balhau, um deles até falava com uma voz fininha...

Bríseis, o bilhar é um desporto reconhecido; o meu FCP tem, por exemplo, tradição nesse desporto. No entanto, não os considero verdadeiros desporto, segundo a definição do mundo catso :D