08 março 2011

Reclamar



Estive ontem a ver este filme e lembrei-me do tempo em que o espiritismo esteve mais presente na minha vida.
Naquele tempo, enquanto miúdo, uma das lições que a doutrina tentava passar era: "não reclamar".
"Não reclamar" é diferente de "não lutar pelos direitos e por uma vida melhor".
"Não reclamar" refere-se às coisas fúteis e banais, coisas que queremos, que são totalmente supérfluas, em detrimento das que já temos e que são perfeitamente úteis e suficientes. "Não reclamar" por não ter mais matéria. "Não reclamar" da família, do trabalho e, principalmente, da vida.
"Não reclamar" e tentar crescer como pessoa. Trabalhar, estudar, ajudar e ser melhor, a cada dia. Essas foram as mensagens que aprendi naqueles dias e que, infelizmente, se foram diluindo ao longo do tempo de afastamento.

Ontem enquanto via esse filme lembrei que tenho reclamado (e muito) nestes últimos tempos. Parei para pensar na minha vida e vi egoísmo, preguiça e revolta... há que trabalhar para alterar... há um longo caminho...

Sei que alguns que me visitam neste espaço são cépticos. Convido-vos a ver este filme (ou ler o livro com o mesmo nome) de mente aberta, nem que seja por diversão cinematográfica. Espero que sirva, mesmo que o encarem como ficção, para que possam pensar se estamos, ou não, no caminho certo.

Deixo uma mensagem de Chico Xavier:


NÃO RECLAME

A Vida te coloca onde você escolheu estar...

"Nasceste no lar que precisavas.
Vestiste o corpo físico que merecias.

Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.

Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.

Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.

Teus parentes e amigos são as almas que atraístes, com tua própria afinidade.

Portanto, teu destino está constantemente sobre teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas, tudo aquilo que te rodeia a existência.

Teus pensamentos e vontade são a chave de teus atos, atitudes, são as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivencial.

Não reclames nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograme tua meta,
Busque o bem e viverás melhor."

Francisco Cândido Xavier

10 comentários :

chica disse...

O filme é muito bom e nos faz sair melhores do que entramos. Vale muito! abraços,chica

Sahaisis disse...

eu sou céptica e às vezes também asséptica (risos). mas fiquei curiosa, vou ver de "coração aberto"

pinguim disse...

Eu tenho medo...confesso!
Prefiro não pensar...

Cirrus disse...

Eu reclamo. E reclamo de car...!

Catsone disse...

Chica, tens toda a razão. Bj

Sahaisis, fico satisfeito de ter-te deixado curiosa. Vê com os horizontes abertos.

Pinguim, porquê, amigo? Vê o filme, é capaz de acabar com esse medo.

Cirrus, depende do que reclamas, é como disse no texto.

Helga disse...

Reclamamos muito, mas infelizmente agimos muito pouco. O que é uma pena, pois é urgente reclamar os valores e os ideais que perdemos. Adorei a mensagem de Francisco Xavier. Céptica ou não, ele tem razão, estamos exactamente onde merecemos estar.

Beijinho e obrigada pelas palavras sempre constantes lá nas Planícies :)

Johnny disse...

Parece fixe. Sobre o reclamar, concordo que agora à uma moda de reclamar por tudo e por nada...

Catsone disse...

Helga, não tens de quê ;)

Johnny, é uma moda a que vamos, quer queiramos, quer não, aderindo.

Helena Matos disse...

Há coisas que só vêm com a idade, com uma doença mais grave!
Já sou cota e vejo a vida com outros olhos... a experiência já me ensinou que quanto mais reclamamos, mais situações sujeitas a reclamações nos aparecem pela frente!
Aceitem as situações como uma aprendizagem que temos para fazer e percebam o porquê delas surgirem! Quanto mais praticarem, melhor entendem o significado daquilo que precisamos entender no preciso momento.
E, também já aprendi que se uma situação não for bem resolvida, ela voltará a aparecer-nos noutra ocasião, para nos dar a oportunidade de "crescermos" e entendermos essa mesma lição de vida!
A velhice e esta contagem decrescente... mostra-nos o outro lado da vida!...

Catsone disse...

Helena, eu, como ainda sou um jovenzito, ainda vou reclamando que chegue. No entanto, a coisa já não é como era; parece que já não reclamo por tudo e por nada...
Mas não quero que a idade me cale ;)