06 setembro 2010

Respons(h)abilidade

"Sócrates: «Exige-se responsabilidade e não imaturidade»" in TVI

Já escrevi neste blog, mais do que uma vez, que este governo é óptimo em fazer publicidade. Este nosso querido PM é o "garoto-propaganda" deste executivo exímio em Marketing.

Ver o discurso do senhor PM e não esboçar um sorriso é não ter um pingo de bom humor. Nesse longo monólogo de reentré política (a 2ª!) o que mais se ouviu foi a palavra responsabilidade.


responsabilidade | s. f.


responsabilidade
s. f.
Obrigação de responder pelas acções próprias, pelas dos outros ou pelas coisas confiadas.


Bem, parece-me que o senhor PM não está familiarizado com a definição de "responsabilidade".
É ser-se responsável alguém que permite que o emprego chegue aos 11%, quando até se prometeu a criação de 150000 novos empregos em 4 anos?
É ser-se responsável alguém que permite, ao contrário dos outros "PIGS", que a despesa pública cresça em vez de diminuir?
É ser-se responsável permitir que 1 bilião de dívidas fiscais prescrevam?
É ser-se responsável embandeirar em arco um crescimento trimestral de 0.2% (1/5 da média europeia e 1/10 da Alemanha)?
Já não falo das responsabilidades ignoradas a outros níveis...


Lembro-me de, no ano passado, assistir a um debate entre o Engº Sócrates e o Secretário Geral do Bloco de esquerda, Francisco Louçã. Confesso que, na altura, era o debate que mais esperava e o que causava mais curiosidade.
Desilusão.
Francisco Louçã foi um cordeirinho na mão de um predador político. Sócrates é como os príncipes que são criados de pequeninos para, no futuro, ocuparem o lugar de rei. O PM foi incubado, treinado para estar no lugar que ocupa e aproveitou-se (com primazia, diga-se de passagem) de uma fraqueza existente no programa eleitoral do seu opositor de debate.
Que fraqueza era essa? Que ponto foi explorado até não mais pelo PM? O que foi tão batido que Louçã perdeu o pio? O que o deixou tão perplexo e sensibilizado?
O ponto da discórdia era a diminuição das deduções fiscais para gastos com saúde e educação. Louçã defendeu-se com a seguinte justificação: se o estado fornece bom serviços públicos de saúde e educação não há justificativa para as pessoas optarem pelo privado e,se o fazem, devem arcar com as custas. A meu ver uma boa defesa... se o estado fornecesse bons serviços de educação e saúde (o que, em alguns locais do território, não acontece, infelizmente).
Sócrates atacou, ironizou, ridicularizou, fez as cenas trágico-cómicas que está tão habituado: "como é possível? E o senhor diz-se de esquerda? Quer retirar benefícios à classe média? Como é possível".
Caía por terra a minha vã esperança de ver alguém dar uma tareia ao Engº.

Agora, passados alguns meses, o que é que aquele homem perplexo, incomodado, ferido na sua honra socialista, quer fazer?

"O PS quer que os portugueses paguem mais do seu próprio bolso pela saúde e educação. O PSD quer que se pague pelo menos o mesmo." in Jornal de Negócios

Pois é, RESPONSABILIDADE parece não ser o forte do PM.

6 comentários:

meldevespas disse...

Quando vejo o PM na televisão (o único lugar onde o vi em acção), não posso deixar nunca de pensar que aquele homeme está ali com um propósito, ele tem sempre o "filme" encenado, ele fala para um público está banhado pelas luzes de uma ribalta que o segue para onde ele for, ele age de tal forma que provoca esse sorriso de que falas, tipo "mas este gajo tá a querer pôr os dedos nos olhos de quem!?". O pior é que põe...os dedos e tudo o mais. O tipo se calhar tentou a vida artistica e não teve sorte...não sei....agora tem ele sorte e nós não...digamos quie sim, é um habilidoso.

Sahaisis disse...

eu acho o fulaninho escabroso..tenho dito...

Catsone disse...

Mel, esse fulano é um fantoche. Deve ter um chip acoplado com normativas mais altas a seguir. Já não o suporto!
Se o Cavaco deitasse abaixo o governo era capaz de votar nele... NOT!

Sahaisis, mais um lindo adjectivo para o moço ;)

Sara sem Sobrenome disse...

Fala o roto ao nu. Lindo!:)

Lala disse...

E porque é que não me surpreende?-.-'

Catsone disse...

Sara, é isso mesmo, dois gajos pré-fabricados para os lugares que ocupam só podia dar nesta merda!

Lala, porque era evidente, certo? ;)