27 maio 2010

Pai sofre XI - O "assédio"

Ontem fomos dar uma volta à nova superfície comercial cá do burgo. Precisava de umas coisitas e aproveitei para espairecer.
Embarcámos os três no popó e lá fomos nós.
Enquanto a patroa foi à loja do Belmiro fui eu, com a minha pequena, dar uma volta pelos corredores do centro comercial..
Tudo ia bem até ter reparado num (deveras) interessante e misterioso fenómeno. Comecei a aperceber-me que muchachas várias achavam engraçado (e fofinho!) o facto de um gajo passear um bebé. Olham primeiro a cria, sorriem e depois fitam as fuças do empurrador de carrinho. Parecem avaliar o potencial do macho.
Conjecturei sobre o que iria na cabeça das moças: “… aquele até é fértil, quem diria…”, “…hum, não parece com o pai…”, “…deve ser adoptada…”, etc, etc.
Confesso que achei piada, afinal não é comum ser observado dessa forma tão, digamos, lasciva. Mas, passado algum tempo, começou a ser incomodativo. Senti um pouco do que os famosos sentem. Montes de olhos em cima de nós… não estou acostumado (e quem me conhece percebe porque).
Tentei disfarçar o embaraço e olhar para algumas montras mas a miúda estava tão bem disposta que passou o tempo todo a palrear e dar gritinhos... o que atraiu, ainda mais, a atenção. Parecia um chamamento para o sexo oposto: e mais sorrisos, “cuti-cutis” e olhares constrangedores.
De interessante, o fenómeno passou a ser caliginoso e antes que alguma desse o bote, acelerei o passo em busca do conforto que existe por baixo da asa da patroa; com a velocidade do carrinho, a filhota ria-se…
Encontrei a minha “chefa” na fila da caixa:
“- Tás branco…”


Ainda a arfar, pensei que poderia alugar a miúda aos meus amigos solteiros... pode ser que ainda ganhe algum cacau com este estranha manifestação.

9 comentários :

Rain disse...

Já não és o primeiro que oiço a "queixar-se" disso... Vida dura, hem? Não sei se a patroa acha boa ideia alugares a filhota, mas quem sabe! O IRS voltou a aumentar! lolol

Gravepisser disse...

Genial... E que grande ideia de negócio essa, de alugar o rebento aos amigos necessitados... Quando pensares num tarifário adequado ao actual contexto económico, estou na fila... xD

Sahaisis disse...

cats: passa para cá a ver se tem o mesmo efeito no sexo oposto..
P.S: sou de confiança, dou referências e tive 19 a obstetricia...que dizes?

Sahaisis disse...

e a pequenada costuma curtir bué de mim :P

Cirrus disse...

Isso resulta muito e bem!!! Costumava alugar um pirralho quando era mais novo. Elas falam, falam, mas adoram "ter" um pai de família sensível aos putos. Coisa que não sou, mas dava para disfarçar.
Uma aliança de casado num bar do segmento "20 anos" é outra que resulta de uma forma fácil demais.

Catsone disse...

Rain, se houver incentivos fiscais quem sabe ;)

Grave, epá, tás a precisar desse estratagema? lol, faço-te um desconto de amigo, mas empresto-te uma miúda que não será a minha filha, claro :D

Sahaisis, acho que para o sexo oposto a situação é inversa: afasta.

Cirrus, a dos "putos" parece resultar; a da aliança acho que não. A criança sempre tira mais a atenção da cara do indivíduo...

Pulha Garcia disse...

"“… aquele até é fértil, quem diria…”, “…hum, não parece com o pai…”, “…deve ser adoptada…”" AHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA

Muito bom. Só faltava que te apertassem a "quinta barbatana da morsa" e concluíssem "Naaah ... é demasiado flácida.

Sahaisis disse...

cats: :'(e ainda por cima acho a tua gaiata mesmo gira...fogo pá :(

Shadow One disse...

Uma vez vi uma t-shirt envergada por um rebento jovem com os dizeres:
"Se achas que sou giro devias ver o meu pai".

Continuo a achar que o "ultimate turn on" para o sexo feminino é o saldo da conta bancária. Sendo esse dotado, o resto "falls into place".
De certeza que não tens um carrinho de bébé daqueles mais caros que um automóvel?