24 dezembro 2008

Natal

É tradição cá do burgo que, nos jantares de natal, se leiam algumas linhas escritas por mim. Nunca transcrevi nada para aqui, mas vou abrir uma excepção.
Um bom natal para todos!

Crepitam labaredas

Crepitam labaredas na fogueira
Que se fez antes do jantar.
Vão chegando amigos
E cresce a vontade de abraçar.
"Olá, há quanto tempo!"
E nas entrelinhas: saudade

Crepitam labaredas, roem a madeira.
E os amigos sentam-se para cear.
Em frente aos pratos preferidos
Há sempre boas histórias para contar.
"Já estava faminto!"
E nas entrelinhas: verdade

Crepitam labaredas na lareira,
Sente-se o calor que projectam para o ar,
E os cânticos de natal
Vão, as vozes, preparando para cantar.
"Dessa não me lembro!"
E nas entrelinhas: amizade.

Crepitam labaredas vermelhas
Que esperaram o ano inteiro por este dia
Para arder, para ver, tanto amor e alegria
Que os amigos tem para compartilhar.
E, enquanto se prestam homenagem verdadeiras,
Crepitam quentes labaredas vermelhas na lareira.

7 comentários :

Sahaisis disse...

bonitinho :) e agora ala trabalhar que os doentes não estão de folga ;)

Catsone disse...

Vivas às tolerâncias de ponto!!!

Bom trabalho e bom natal.

Rain disse...

Muito bonito :)
Feliz Natal!

Balhau disse...

Que é que andaste a fumar caralho?
E nas entrelinhas: parabéns belo texto

Catsone disse...

Balhau, deixei dessas coisas pá, ou talvez, hum...
Bom natal!

Sahaisis disse...

eh eh...posso matar um colega teu???posso, posso, posso?

Brown Eyes disse...

Adorei a tua transcrição. Um Feliz Natal e viva a tradição