07 julho 2006

Acordei

Durante quase um mês vivi um sonho.
Nesse sonho morada neste mesmo Portugal, mas num Portugal diferente, sem corrupção, sem crime, sem greves, sem défices ou inflação. Neste Portugal, todos eram amigos, todos estavam unidos em torno de um ideal, sem rivalidades ou preconceitos; por um pequeno lapso de tempo éramos todos portugueses mesmo!
E durante o sonho, fomos arrepiando caminho; lutando e trabalhando; vencendo batalhas, por vezes, perdidas à partida. Recordei Camões e seus versos orgulhosos, ouvi o hino cantado em uníssono por milhões. Revivi "guerras" contra africanos, persas, latinos, holandeses, e até contra o nosso mais antigo aliado: Inglaterra; e todos vencemos, com raça, força, garra e glória!
Fomos exemplo para os maiores!
Neste país de sonho, a última batalha foi travada contra um velho desafeto. Desde o tempo das invasões napoleónicas, que os gauleses nos atormentam. Nos invadiram no passado, nos roubaram no presente.
E o sonho acabou!
Acordei transpirado, com raiva, com um sentimento ainda não inventado, mescla de angústia, revolta e tristeza; mas não decepção, pois fomos melhores!
Hoje acordei triste, mas orgulhoso, e quando me peguntarem, direi que sou português!

Ps: Forza AZZURRA!!!!

1 comentário :

Anónimo disse...

O pior é quando se é brasileiro de Portugal, e esses "c______" arrumaram-nos os dois!!! É muito triste a galinha preta deles funcionar em todos os momentos, contra ventos e marés, charros e maconhas... Enfim, resta-nos pensar no 3º lugar que vai ser nosso!