04 janeiro 2015

2015

"Ano novo, vida nova", eles dizem. Mas eles não entendem que a única coisa que muda é uma página de um calendário. Ok, muda-se o calendário também, mas é apenas isso. Para além, nada mais; tudo igual. 
Servirá o 1º dia do novo ano para tomar resoluções. Será apenas um bom ponto de partida. É fácil de recordar, pelo menos mais fácil de recordar comparando-se a uma decisão tomada no dia 7 de Maio, por exemplo. A malta escolhe o 1º dia do ano para iniciar nova vida: querem emagrecer, ou parar de fumar, ou parar de beber, ou entrar numa nova relação, ou arranjar um novo emprego. O dia 2 é o primeiro em que tudo falha e, para esquecer, acende-se um cigarro na companhia de um bourbon e enquanto se belisca uma caixa de bombons que sobrou do natal.
Amanhã é a primeira segunda-feira de 2015. Representará o primeiro dia de trabalho e a volta para um sítio que cada vez mais me desagrada. Por isso, "Vida nova"? Humpf! Vida nova, para mim, seria poder esfregar uma carta de despedimento com requintes de sadismo no focinho de determinadas chefias. Isso sim, seria começar de forma espectacular. No entanto, como a vida não me permite desfrutar dessas pequenas excentricidades, fico com a carta guardada na gaveta para, quem sabe, fazer a esfregação num "7 de Maio" qualquer.

Bom ano para todos e, principalmente, àqueles que podem "entrar com o pé direito" no traseiro de imbecis.

4 comentários :

Bloga-mos disse...

Tenho a certeza absoluta que pontapeie alguém a um certo 7 de Março mas de momento não recordo...

Pulha Garcia disse...

Bom ano, pá. Abraço.

João Roque disse...

Desejar um Bom Ano a 21 de Janeiro não é ridículo, pois não???
Se o Natal é quando o homem quiser, o começo do ano também deve poder ser...

Catsone disse...

Pulha, bom ano. Saudações de(s)portista.

João, não é nada, amigo, o tempo passa tão rápido que nem dá para reparar que já vamos no fim de Janeiro :D
Abraço