14 novembro 2012

Os corajosos

"Passos Coelho assinala coragem de quem trabalha e quer trabalhar" - in TSF

Ora, "coragem", deixa-me lá ver aqui no priberam:

coragem | s. f.

coragem
(francês courage)

s. f.

1. Firmeza de ânimo ante o perigo, os reveses, os sofrimentos.

2. [Figurado]  Constância, perseverança (com que se prossegue no que é difícil de conseguir).


coragem |ò|
(corar + -agem)

s. f.

Acto ou efeito de corar. = CORA


Não sou muito bom a reagir a elogios. É-me mais fácil reagir à crítica. Parece que estóu mais preparado para um reparo negativo, tenho um discurso já encadeado e, para além de tudo, é mais comum ser confrontado com uma bela e raivosa crítica.
No entanto, apesar de não responder tão bem ao elogio, costumo aceitá-lo de bom grado. Apesar de tudo, é sempre bom ouvir algo de agradável que tenha a ver com a nossa actuação. É lisonjeiro e sabe bem, para variar.

Hoje, sem saber e sem querer, recebi um elogio. Disseram-me que era/sou corajoso, vejam bem. Sou corajoso porque não fiz greve. É verdade! Disse-me o primeiro ministro deste país. Para ele, quem foi trabalhar ou quem, desempregado, tinha enorme gosto de ir trabalhar, é alguém que merece esse rótulo.

Não aceito o elogio. Não sei se será a primeira vez que o faço mas, sem dúvida, não é comum. Não aceito este elogio.
Não posso aceitar um elogio destes vindo de quem vem. Não posso aceitar vindo deste incompetente, que é a cara de um governo tecnocrata e de ideias ultra-mega-super-ri -liberais! Quem é ele para elogiar trabalhadores se é o primeiro a dizimá-los? Como posso aceitar vindo de um dos culpados pela realização da própria greve?

Coragem, sr. ministro? Parece-me que não está a ver bem a coisa! Não é coragem, não, é "Necessidade"! Para si até pode ser que não, mas para mim e para outros comuns mortais , um dia de salário fazem diferença, até porque, em casa de muito boa gente (incluindo a minha) só existe mesmo isso: um salário! Mas existem contas, filhos, desemprego, encargos, impostos...

Coragem, sr. ministro? Nesse mundinho autista que criou coragem é "trabalhar"? Sabe quantos corajosos estão hoje parados? Quantos estão a procura de se tornarem corajosos? E, veja lá o quão irínica é a coisa, sabe quem é que os impede de ser corajosos? Pois é, o sr mesmo! 
O sr. ministro e a sua quadrilha de fato e gravata são os responsáveis por, em Portugal, não haver mais corajosos! 
Junte-se à Jonet e adicione também aos "corajosos" aqueles que, hoje (e ontem e há dois dias...), também evitaram de comer!
  Bem, mas esperem lá... hum, talvez não me estivesse a elogiar. "Coragem" também pode ter a ver com o verbo "corar". Talvez tenha mais a ver comigo, realmente, pois gostaria de estar a ser menos corajoso e estar à frente de um piquete... mas não posso, sr ministro, hoje não pude ter dessa coragem.



E o que dizer deste senhor?

"Cavaco: Em dia de greve geral "eu estou aqui a trabalhar" - in Negócios Online

Este senhor acredita que o seu trabalho "melhora a economia" do país e "aumenta o emprego", o que demonstra que já por lá anda alguma demência vascular ou outra que tal...
 
Este homem é um dos corajosos do Passos. Ele que subsiste de forma heróica às agruras de um rendimento mensal ainda inferior ao de um fiél monge franciscano. Tenham pena deste reformado trabalhador.

Mas apesar de insano, senil e extraordinariamente chato, o nosso presidente mostra-se pelo menos coerente: como poderia ele aderir a algo que surge por sua própria culpa? Não se esqueceu, certamente, de que tem a sua quota nesta empresa insolvente que se chama Portugal, não é veradade? Aliás, terá sido um dos pioneiros da devassa económica nacional, talvez a cadeira que leccionava nas salas d'aula da faculdade a colegas de Catroga ou Gaspar, entre outros charlatães. 

Nem vou por aqui, sr Cavaco, a definição de "trabalho", ok?  

A estes grandes dedico esta singela melodia: 





Puta que os pariu a todos!

1 comentário :

João Roque disse...

Só uma???
Filhos de um cabaz delas...